Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

O suspeito do costume volta ao pequeno ecrã

Getty

Sacha Baron Cohen regressa à televisão uma década depois. O humorista britânico, conhecido por personagens como Ali G ou Borat Sagdiyev, apresenta agora a série “Who Is America?”, com estreia nacional marcada para amanhã à noite no TVSéries

Parecia estar desaparecido e quase esquecido, qual estrela caída em desgraça numa altura em que tudo corre demasiado depressa, mas era o tempo de que Sacha Baron Cohen precisava para regressar em grande. Depois de um período em que pouco se falou do seu trabalho, o humorista britânico promete regressar para fazer o que melhor sabe. “Talvez este seja o programa mais perigoso na história da televisão”, avisa o canal Showtime, numa altura em que se preparava para apresentar o projeto-surpresa que decerto vai marcar tempos televisivos mais frios — que sempre contrastam com as temperaturas mais elevadas.

Embora já se falasse de um possível projeto de Sacha Baron Cohen com o Showtime, a verdade é que nada se sabia sobre a produção — que durante mais de um ano gravou um pouco por todo o território norte-americano. David Nevins, presidente e CEO do canal norte-americano, revelou a “Who Is America?” na última semana, altura em que foram apresentadas as primeiras imagens da polémica série. “Sacha é um génio cómico que choca pela sua audácia, coragem e criatividade”, expressou o executivo em declarações enviadas ao Expresso.

Para Nevins, trata-se do “principal provocador dos nossos tempos”, cujo trabalho acaba por ter uma dimensão mais profunda “por detrás de toda a sua interpretação”: “uma procura genuína pela verdade sobre as pessoas, lugares e políticas”. O responsável máximo do canal considera que “ninguém sabe causar polémica como Sacha Baron Cohen” e que “será fascinante assistir ao que vai acontecer quando ‘Who Is America?’ for lançado para o mundo”. Nevins tinha razão, porque a polémica já estalou.

Conhecido também pelas suas entrevistas embaraçosas a diversas personalidades, como celebridades, académicos e políticos — e que quase sempre deram origem a polémicas nos Estados Unidos —, Sacha Baron Cohen promete que “Who Is America?” será uma espécie de regresso às origens. Se já o vimos a enganar o agora Presidente Donald Trump, o astronauta Buzz Aldrin, os Beckhams ou o empresário egípcio Mohammed Al-Fayed, esta será a vez de novas vítimas.

O antigo vice-presidente Dick Cheney foi o primeiro a ser anunciado e a sua participação em “Who Is America?” tem tudo para ser polémica, mesmo que o político norte-americano tenha optado por não comentar o caso até ao fecho desta edição. É que Cheney deu um autógrafo num kit de waterboard e não é preciso revelar muito mais para se perceber o embaraço de ser apanhado nessa situação. É que este método de tortura, que simulava o afogamento, foi utilizado após os atentados de 11 de Setembro em interrogatórios a suspeitos de terrorismo, quando Cheney era número dois de George W. Bush na Casa Branca.

Mas Cheney não foi o único a cair na partida de Baron Cohen. Sarah Palin, antiga governadora do Alasca, também aceitou o convite, mas julgava estar a participar num “documentário histórico verdadeiro do Showtime”. A política denunciou já que Cohen ter-se-á feito passar por um veterano de guerra deficiente, para aquilo que Palin descreve como “uma longa ‘entrevista’ cheia de desrespeito e sarcasmo hollywoodesco”. Cohen acabaria por responder-lhe à letra, através da sua nova personagem Billy Wayne Ruddick Jr., Ph.D. Dá razão à queixosa e admite que na verdade não é um veterano deficiente, mas que isso não o impediu de lutar pelo país. “Dei um tiro a um mexicano que entrou na minha propriedade”, conta.

Depois há que referir as histórias de outros nomes menos sonantes internacionalmente, como o antigo congressista do Illinois e apresentador Joe Walsh — convidado para ler um teleponto em que apresentava inovações israelitas, entre as quais se incluíam o armamento de crianças — ou o jornalista e defensor do livre acesso às armas Joe Walsh (que julgou estar a participar numa série chamada “Age of Reason”). Já o antigo candidato ao Senado pelo Alabama Roy Moore Cohen parece ter sido apanhado no mesmo esquema de Walsh, relacionado com Israel. A radialista conservadora Austin Rhodes e o antigo xerife do Arizona Joe Arpaio também foram apanhados por uma das várias personagens de Cohen.

“Who Is America?”, estreado no último fim de semana nos Estados Unidos, chega amanhã à televisão portuguesa, num exclusivo do TVSéries. A série satírica de Sacha Baron Cohen tem estreia marcada para este domingo, pelas 22h30, e será exibida ao ritmo de um episódio semanal durante sete semanas. Até ao momento, o Showtime não confirmou a existência de novos episódios da série a estrear num futuro próximo. Além de dar a cara ao novo programa, Cohen é também produtor-executivo do projeto, ao qual se juntaram Anthony Hines, Todd Schulman, Andrew Newman, Dan Mazer e Adam Lowitt — com quem o humorista tem trabalhado nos seus projetos mais recentes.

Quanto aos próximos passos de Baron Cohen — vencedor de dois BAFTAS e dois Globos de Ouro, contando também com uma nomeação para melhor ator nos Óscares —, espera-se que regresse em breve ao pequeno ecrã num formato completamente diferente. A minissérie “The Spy”, um drama histórico sobre o espião israelita Eli Cohen, está em fase de pré-produção e o ator será o protagonista de uma das novas apostas da Netflix, ainda sem data de estreia conhecida. Por enquanto, os fãs do humorista podem recordar sucessos como “Borat: Aprender a Cultura da América Para Beneficiar a Gloriosa Nação do Cazaquistão” 
ou projetos menos marcantes 
como o filme “Irmãos e Espiões”, ambos disponíveis no serviço 
de streaming.