Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

UNESCO classifica locais históricos do Quénia, Arábia Saudita e Omã

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) classificou sexta-feira como Património Mundial o local arqueológico de Thimlich Ohinga, no Quénia, a antiga cidade de Qalhât, em Omã, e o oásis de Al Ahsa na Arábia Saudita.

Segundo o comunicado da organização da UNESCO, Thimlich Ohinga contém vestígios de assentamento humano, constituindo um exemplo das construções tradicionais de pedra seca realizadas pelas primeiras comunidades dedicadas à pastorícia.

A antiga cidade amuralhada de Qalhat, no litoral este de Omã, dos séculos XI e XV, é um vestígio único do antigo porto marítimo que ligava a Arábia, o leste de África, a Índia e outras regiões da Ásia.

Al Ahsa, situado no este da Arábia Saudita, é o maior oásis do mundo e foi incluído na categoria de "paisagem cultural em evolução".

O oásis conta com uma série de jardins, canais, nascentes, poços, lagos de drenagem, edifícios históricos e sítios arqueológicos.

De acordo com o 'site' do Comité da UNESCO, a reunião prolonga-se até 4 de julho, em Manama, e analisa 30 candidaturas de novos sítios protegidos, entre eles o cemitério militar português de Richebourg.

Lusa