Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Mike McCormack vence Prémio Literário de Dublin. Livro tem apenas um parágrafo

Mike McCormack sucede ao escritor angolano José Eduardo Agualusa, vencedor da edição do ano passado do prémio, com a tradução inglesa de "Teoria Geral do Esquecimento" ("A General Theory of Oblivion")

O escritor irlandês Mike McCormack é o vencedor da edição de 2018 do Prémio Literário de Dublin, com o romance "Solar bones", publicado pela editora independente Tramp Press. Este livro de McCormack tem 270 páginas... mas apenas um parágrafo.

Mike McCormack sucede ao escritor angolano José Eduardo Agualusa, vencedor da edição do ano passado do prémio, com a tradução inglesa de "Teoria Geral do Esquecimento" ("A General Theory of Oblivion").

O júri considerou a obra de McCormack “formalmente ambiciosa, estilisticamente audaz, linguisticamente espirituosa", fazendo de "Solar Bones" "um romance de extraordinário alcance”.

"Solar Bones" é o retrato de um homem, no momento em que o seu mundo se desmorona, contada ao longo de um único e ininterrupto parágrafo, a que o júri reconheceu "um ritmo maravilhosamente fluido".

Patrocinado pelo concelho municipal de Dublin, o prémio tem o valor de 100 mil euros - o mais alto atribuído e uma só obra publicada em língua inglesa - e tem por objetivo distinguir anualmente uma novela escrita em inglês ou traduzida para inglês.

A lista de finalistas da edição deste ano também incluiu "Human Acts", da sul-coreana Han Kang, "The Unseen", do norueguês Roy Jacobsen, "The Lesser Bohemians", da irlandesa Eimear McBride, "The Woman Next Door", da sul-africana Yewande Omotoso, "My Name is Lucy Barton", da norte-americana Elizabeth Strout, "Ladivine", da francesa Marie Ndiaye, "Distant Light", do italiano Antonio Moresco, "The Transmigration of Bodies", do espanhol Yuri Herrera, e "Baba Dunja’s Last Love", da alemã Alina Bronsky.

Os escritores Javier Marías, Herta Muller, Orhan Pamuk, Juan Gabriel Vásquez estão entre os vencedores do prémio, em edições anteriores. José Saramago, com a tradução inglesa de "O Evangelho Segundo Jesus Cristo", e Lídia Jorge, com "O Grande Voo do Pardal" foram finalistas do prémio, em edições anteriores.