Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Paulo Branco ganha processo contra Terry Gilliam

DR

Paulo Branco ganha os direitos integrais de exploração de "The Man Who Killed Don Quixote", o filme que a sua produtora Alfama Films queria ter começado a rodar em outubro passado. A decisão é do Tribunal de Grande Instância de Paris, que confirma a "plena validade do contrato" celebrado entre a Alfama Filmes e o ex- Monty Python, Terry Gilliam, no âmbito da produção daquela longa-metragem

A decisão judicial surge semanas depois da rodagem do filme em Portugal pela Ukbar Filmes, de Pandora da Cunha Telles, se ter iniciado. Gilliam cortara relações com Paulo Branco e a Alfama Films acusando-os de faltar aos seus compromissos devido ao atraso no começo das filmagens de "The Man Who Killed Don Quixote" por falta de financiamento, requerendo por isso a rescisão do contrato.

A polémica, com início em outubro, altura em que era suposto ter tido início a rodagem do filme pela produtora Alfama Films, agigantou-se depois de Paulo Branco ter anunciado a longa-metragem com Terry Gilliam como a grande aposta para esse ano. Com nomes como Adam Driver, Olga Kurylenko e Rossy de Palma no seu elenco, "The Man Who Killed Don Quixote" deveria ser filmado entre Portugal e Espanha e contaria com um orçamento total de 16 milhões de euros.

O ex- Monty Python, em declarações à BBC 2, diria então que "tinha um produtor, um sujeito português, que afirmou que reunira todo o dinheiro a tempo". As referências a Paulo Branco chegariam alguns dias depois através de uma imagem publicada no Instagram que mostrava o célebre logotipo da MGM com o produtor português no lugar do leão. A legenda dizia: "Quando os filmes são adiados, cuidado com aquele em quem decides confiar".

Paulo Branco não fez qualquer comentário às acusações de Terry Gilliam e a polémica esmoreceu, até que, no início deste mês, se soube que o filme estava a ser rodado, sim, em Portugal, sim, mas pela Ukbar Filmes. De acordo com o anúncio feito, a produção da longa-metragem enquadra-se agora no novo programa de incentivos fiscais, lançado em fevereiro pelo governo, para atrair produções cinematográficas estrangeiras. Mantendo-se o mesmo orçamento, 16 milhões de euros, dos quais 1,2 milhões sairão de Portugal, assegura à Lusa a responsável pela Ukbar Films, "The Man Who Killed Don Quixote" trata-se de mais uma coprodução com Espanha, França, Bélgica e Inglaterra

A bola está, no entanto, do lado de Paulo Branco, que já fez saber, através da produtora Alfama Films, que a nova rodagem, mesmo que quase a terminar, "é manifestamente ilegal", assim como o são toda e qualquer exploração do filme, ou violação do contrato vigente com esta produtora.