Siga-nos

Perfil

Expresso

O equívoco de um imigrante quando vota num fascista

Num vídeo que se tornou viral, um jovem imigrante brasileiro gritava a uma eleitora: “Sou italiano, sou branco, sou hetero e sou fascista mesmo”. Tenho uma novidade: para um Bolsonaro português seria “só” um brasileiro. Imigrante de um país pobre, suspeito. Quase um “preto”. Se fosse mulher, quase de certeza prostituta. Sendo homem, apenas mandrião

Quase 60% dos imigrantes brasileiros que vivem em Portugal votaram Jair Bolsonaro. Não vou dizer que me espanto. Ao contrário do que julgamos, quem emigra de um país pobre não são os mais pobres. Esses nem essa opção têm. E todos os números dizem que a classe média votou ainda mais massivamente em Bolsonaro do que os pobres. Ainda assim, é impossível não sentir uma enorme estranheza ao ver aqueles que aqui são vítimas do preconceito votar em quem, no seu país, se alimenta do preconceito. Apenas nos recorda que são as circunstâncias e não a natureza das pessoas que definem o seu papel político e social.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido