Siga-nos

Perfil

Expresso

Jornal Nordeste

Mudanças no panorama escolar

Grandes mudanças avizinham-se no panorama escolar do concelho de Bragança. Novos equipamentos, requalificação das infra-estruturas já existentes, melhoria das condições para os alunos são, apenas, algumas das novidades que os alunos e encarregados de educação encontrarão no próximo ano lectivo.

Jornal Nordeste/Sandra Canteiro

Grandes mudanças avizinham-se no panorama escolar do concelho de Bragança. Novos equipamentos, requalificação das infra-estruturas já existentes, melhoria das condições para os alunos são, apenas, algumas das novidades que os alunos e encarregados de educação encontrarão no próximo ano lectivo.

Os novos Centros Escolares da Sé (CES) e de Santa Maria (CESM), em Bragança, cuja conclusão e abertura está prevista já para o próximo ano lectivo, vão acolher parte dos alunos que ingressam, pela primeira vez, no sistema educativo.

Com capacidade para aproximadamente 300 estudantes do ensino pré-escolar e 1º Ciclo, o CES vai funcionar integrado na escola - sede do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela (AEPQ) que acolhe, actualmente, cerca de 600 crianças e jovens do 2º Ciclo.

"Vai mudar a nossa oferta educativa. Teremos mais salas e infra-estruturas e o que se pretende é a articulação dos vários níveis de ensino, facilitando a integração e sucesso dos alunos", adiantou o director do AEPQ, Luís Freitas.

Trata-se de um empreendimento que integrará dez salas de aulas para os alunos do 1º Ciclo e quatro para o ensino pré-escolar, biblioteca e refeitório, entre outras condições.

 

Santa Maria "quer" 2º ciclo em Centro Escolar

 

Já o CESM, criado atrás da actual Escola Secundária Miguel Torga, vai acolher cerca de 400 crianças do ensino pré-escolar e 1º Ciclo, sendo que a expansão ao 2º Ciclo ainda é uma incógnita.

"Faria todo o sentido que fosse criado esse nível de ensino no Centro Escolar, até porque já teremos infra-estruturas para receber esses alunos", adiantou o presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria, Jorge Novo.

Com 14 salas, das quais quatro destinam-se ao ensino pré-escolar, bem como espaços para crianças com Necessidades Educativas Especiais, biblioteca, ateliers para artes e salas para os encarregados de educação, entre outras infra-estruturas, o autarca acredita que "é ilógico que as crianças tenham que mudar de escola para frequentar o 2º ciclo, podendo ter aqui uma oferta escolar completa", defendeu.

Assim, caso venha a funcionar o 2º ciclo no CESM, os jovens passam a poder frequentar todos os níveis de ensino naquele espaço, uma vez que, a Escola Secundária Miguel Torga que fica ao lado daquelas instalações.

"Defendo a concentração dos estudantes, até para rentabilizar os recursos já existentes. Para tal, suponho que teria que ser criado um novo agrupamento de escolas", salienta Jorge Novo.

Caso venha a ser implementado o 2º ciclo no CESM, passaria a ser o terceiro estabelecimento com esse nível de ensino, uma vez que já funciona nas Escolas EB 2/3 Paulo Quintela e Augusto Moreno.

Uma teoria "desvalorizada" por Emília Estevinho, directora do Agrupamento de Escolas Augusto Moreno, ao qual pertence o CESM e que integra, este ano lectivo, cerca de 1.050 alunos.

"Não tenho essa informação, até porque o Centro Escolar de Santa Maria pertence a este Agrupamento. Assim sendo, não deverá ser criado o 2º ciclo naquele equipamento, porque já temos esse nível de ensino", adiantou a responsável.

Segundo a docente, "é natural que haja pretensões nesse sentido, mas há poucos alunos que frequentem o 2º ciclo a viver na área da freguesia de Santa Maria. A maior parte vive nas proximidades da escola - sede, pelo que optam por estudar aqui".

Com a abertura destes empreendimentos, encerram as escolas do Loreto, Estacada, São Sebastião e Estação, cujos edifícios serão disponibilizados pela Câmara Municipal de Bragança vir a entidades e instituições da região.

Recorde-se que a construção dos Centros Escolares da cidade de Bragança, em conjunto com a requalificação dos de Rebordãos e Quintanilha, em áreas rurais do concelho, representa um investimento na ordem dos dez milhões de euros.

 

 

Abade de Baçal: Escola do século XXI

 

"Uma escola para o século XXI". É assim que a presidente do conselho executivo da Escola Secundária Abade de Baçal, em Bragança, Teresa Pires, caracteriza aquele estabelecimento de ensino.

Depois das obras de requalificação, a Escola Abade de Baçal ficará dotada com um pavilhão polidesportivo, salas de Tecnologia de Informação e Comunicação, anfiteatro, laboratórios e uma biblioteca totalmente remodelada, entre outras infra-estruturas.

A obra, que arrancou em Agosto do ano passado, tem um prazo de execução de um ano. Contudo, os trabalhos estão atrasados cerca de dois meses, pelo que só deverão estar concluídos a meio do ano lectivo de 2010/11.

Também a Escola Secundária Emídio Garcia, em Bragança, vai ser alvo de obras de requalificação, que deveriam ter arrancado ainda no primeiro trimestre deste ano.

 

 

Os números de alunos na região

No concelho de Bragança:

- Em 1981, eram 35.380 alunos;

- Em 1991, eram 33.670 alunos;

- Em 2001, eram 34.752 alunos;

Na cidade de Bragança:

- Em 1981, eram 14.367 alunos;

- Em 1991, eram 16.954 alunos;

- Em 2001, eram 20.310 alunos;

(Dados retirados da Carta Educativa do município de Bragança)

 

Mais informações aqui.