Siga-nos

Perfil

Expresso

Jornal Nordeste

Burocracia atrasa Termas da Terronha

A construção de uma conduta entre o balneário termal e a nascente aguarda luz verde A burocracia " excessiva" pode estar a atrasar a criação da instância termal da Terronha, um do mais emblemáticos projectos turístico previsto para o concelho de Vimioso. A preocupação é manifestada pelo presidente da Câmara Municipal de Vimioso (CMV), José Rodrigues, que se mostra cansado de esperar pela concretização do projecto.

Jornal Nordeste/Francisco Pinto

" O projecto de exploração, para fins turísticos, das águas sulfurosas da Terronha, tem sido a menina dos meus olhos, pelo que é uma obra que gostaria de concretizar com a maior rapidez", salientou o edil.

A qualidade da água já foi certificada, faltado, apenas, construir um balneário provisório, que funcionará como uma " espécie de laboratório".

" O local onde vai ser construído o balneário dista cerca de 1200 metros da nascente, pelo que vai ser construída uma conduta abastecedora. Esta situação tem causado alguns entraves por parte de alguns organismos públicos", desabafou José Rodrigues.

Já foram efectuados vários pedidos a diversos organismos como o Instituto da Conservação da Natureza e Biodiversidade (ICNB), Comissão de Coordenação da Região Norte (CCDRN), no sentido de avançar com as obras de construção e implantação da conduta de abastecimento ao balneário provisório. Porém, de acordo com autarca, os pareceres técnicos e jurídicos " tardam em chegar, uma situação "desagradável" para os anseios económicos e turísticos do concelho de Vimioso.

"Ao ICNB, o pedido já foi feito há mais de oito meses, e ainda não nos disseram nada. Mesmo assim, esperamos, para breve, um parecer favorável para a construção da conduta adutora da parte da CCDRN", avançou o presidente da CMV.

O balneário provisório, após um período de testes, dará lugar a uma unidade funcional, que será explorada no âmbito do turismo termal.

 

Mais informações aqui