Siga-nos

Perfil

Expresso

Gazeta das Caldas

Quando o Papa esteve em Alfeizerão

Corria o ano de 1998 e o actual Papa ainda não era Papa, ou melhor, o cardeal Ratzinger ainda não era Bento XVI. Um grupo de peregrinos eclesiásticos viajara de Roma para Fátima onde assistira às celebrações dos 81 anos das aparições. A presidir aos actos solenes estava o então cardeal Ratzinger.

Gazeta das Caldas / Carlos Cipriano

O grupo estava alojado na cidade de Fátima, no Hotel Pax, uma unidade hoteleira ligada à Igreja que costuma contactar o restaurante Viamar, em Alfeizerão, quando há circuitos turísticos com os seus clientes que abrangem a região (Alcobaça, S. Martinho, Nazaré).

Foi o que aconteceu nesse mês de Outubro de 1998. José Melgaço, então proprietário do restaurante (cuja gerência passou entretanto ao seu filho, Nuno Melgaço), recebeu uma chamada de Fátima com o pedido de reserva, mas já com o aviso que entre os peregrinos iria um alto dignatário da Igreja, um cardeal que muito provavelmente seria o futuro Papa.

José Melgaço, que contou há poucos dias esta história à Gazeta das Caldas, diz que não se fez rogado e ofereceu ao cardeal duas garrafas de Vinho do Porto Vintage. O almoço decorreu com grande à vontade, apesar de a maioria dos comensais serem bispos e cardeais. O então proprietário do Viamar conta mesmo que, a dado momento, um dos bispos foi à cozinha colocar um avental e andou, na brincadeira, a servir os seus pares.

A "profecia" de que Ratzinguer seria Papa cumpriu-se. Pouco depois morreu João Paulo II e o cardeal alemão sucedeu-lhe com o nome de Bento XVI. E José Melgaço conta que foi com orgulho que leu num jornal uma entrevista do novel Papa em que este, falando de Portugal, fazia uma clara referência a duas boas garrafas de Vinho do Porto que lhe tinham oferecido em Alfeizerão.