Siga-nos

Perfil

Expresso

Gazeta das Caldas

Inaugurados novos lares com todas as condições para 60 idosos de Santa Catarina e Salir de Matos

A ministra do Trabalho e da Segurança Social, Helena André, esteve no concelho das Caldas na manhã do passado domingo, dia 13, para inaugurar duas obras fundamentais para os mais velhos - os lares do Centro Social e Paroquial de Santa Catarina e da Associação de Solidariedade e Educação de Salir de Matos (ASESM). Dois equipamentos que, juntos, perfazem um investimento de cerca de dois milhões de euros, financiado ao abrigo do Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais (PARES), e que vão beneficiar 60 utentes.

Gazeta das Caldas / Joana Fialho

A primeira inauguração foi em Santa Catarina, numa festa abrilhantada pela Banda da Sociedade Filarmónica Catarinense e que contou com a presença do Cardeal Patriarca do Lisboa, D. José Policarpo. Construído numa zona alta, o novo lar permite aos seus utentes uma vista privilegiada sobre a vila e algumas localidades vizinhas, pormenor que não foi esquecido na cerimónia.

"Nascida da Igreja, esta obra é de todos e para todos", salientou o Padre Francisco Comes, presidente da direcção do centro Social e Paroquial. Na paróquia santacatarinense desde Outubro, o pároco não deixou de realçar a importância que o seu antecessor, o Padre João Brás, teve na construção da obra que tanta falta fazia aos idosos da freguesia, bem como "o princípio da solidariedade humana" que ali encontrou. Em dia de festa, o padre deixou expresso o desejo de que "esta casa seja uma expressão universal do amor de Cristo por todos os homens sem excepção".

Lembrando os entraves que se colocaram à empreitada, como o desnível do terreno e a mudança de alguns requisitos legais desde a sua concepção à construção, o presidente da Câmara das Caldas, Fernando Costa, acredita que o Lar do Centro Social "é quase um milagre" que fica a dever-se "à acção de todos". O autarca deixou uma palavra especial à população que se empenhou incansavelmente para que o equipamento seja hoje uma realidade.

O presidente da Câmara disse ainda que Santa Catarina é hoje "uma das freguesias do país mais evoluídas ao nível dos equipamentos". E apesar da crise que se sente, garantiu estar certo que o investimento em equipamentos na freguesia não vai ficar por aqui. Para já, elogiou a "qualidade extraordinária" daquela que será a casa de 30 utentes.

Dizendo-se "satisfeito com a acção que o Governo, em matéria de Segurança Social, no concelho", Fernando Costa não deixou de lamentar os atrasos nos equipamentos de Nadadouro e A-dos-Francos.

Num espaço moderno, integrado na natureza e com grandes janelas para que os idosos possam desfrutar da localização da sua nova casa, a ministra Helena André não poupou elogios àquele que diz ser "um lar exemplar" e que criou 16 postos de trabalho permanentes. Um equipamento com custo superior a 1,5 milhões de euros e que contou com um financiamento público na ordem dos 50%. E porque "o trabalho não acaba, mas começa agora", a governante destacou o apoio ao funcionamento do equipamento em mais de 10 mil euros mensais, conforme o acordo de cooperação assinado na cerimónia de inauguração entre o Centro Social e Paroquial de Santa Catarina e a Segurança Social de Leiria.

A festa em Santa Catarina terminou com a celebração de uma missa por D. José Policarpo.

Lar de Salir de Matos já funciona com 27 utentes

Duas horas depois da abertura das portas do lar de Santa Catarina, Helena André presidiu à inauguração do Lar de Idosos da Associação de Solidariedade e Educação de Salir de Matos. Uma inauguração simbólica, uma vez que o equipamento está a funcionar desde o final de Maio com 27 idosos, sendo que a estrutura pode receber 30 utentes.

António Galamba, presidente da direcção da associação de Salir, destacou a importância que a população residente na freguesia e os emigrantes nos Estados Unidos tiveram no apoio à construção de uma obra cujo custo ascendeu aos 900 mil euros, com um financiamento público de cerca de 600 mil euros. Preparado para receber 30 utentes, aos quais se juntam 13 beneficiários do Centro de Dia, o Lar pretende suprir a falta de equipamentos de apoio aos mais velhos na freguesia.

O equipamento permitiu a criação de 20 novos postos de trabalho e o responsável pela entidade afirmou que "o conjunto e funcionárias e colaboradoras são absolutamente fundamentais para a resposta social, mas também humana" aos utentes. Feita a obra, o grande desafio que agora se coloca é a sua sustentabilidade. "Felizmente o Programa PARES teve a visão não só de apoiar a construção, mas também o funcionamento", com um acordo do cooperação que se traduz num apoio mensal de 11.700 euros mensais.

A curto prazo a associação propõe-se desenvolver um centro de convívio na escola que foi encerrada com a construção dos centros escolares, cedida pela autarquia. Um projecto para o qual conta, novamente, com o apoio da população. E o agradecimento do povo ao apoio da tutela na construção do mais recente equipamento da freguesia foi simbolizado na oferta de um Zé Povinho à governante.

Além de "um lar de excelência", o investimento em Salir de Matos possibilitou o arranjo dos exteriores, com a requalificação de um largo. O autarca congratulou-se por ver inaugurada mais uma obra que vem aumentar a oferta existente no concelho para os mais velhos, uma área em que "não estávamos mal, mas estávamos deficitários", uma situação que o Programa Pares veio alterar.

Em Salir de Matos, a ministra Helena André não deixou passar em vão a preocupação da ASESM em "olhar para os extremos mais frágeis da sociedade", as crianças e os idosos. Defendendo que "se Bordallo Pinheiro estivesse entre nós teria as suas preocupações sociais muito vivas", a governante acredita que o artista "estaria muito agradado por ver que no concelho das Caldas da Rainha a solidariedade é um valor bem presente".

Mais de 2.700 lugares para idosos e crianças no concelho

A passagem de Helena André por Santa Catarina e Salir de Matos foi uma oportunidade para que a responsável pela pasta da Segurança Social fizesse um retrato da rede de apoio a crianças e jovens no concelho das Caldas da Rainha.

Aquando da conclusão do PARES, no final de 2011, o concelho terá 471 lugares para idosos em lar, 343 em centros de dia, apoio domiciliário para 779 pessoas e 383 lugares em creche. Números que mostram que o concelho não ficou indiferente ao esforço nacional de reforçar a rede de equipamentos sociais existentes.

Em altura de crise "é fundamental que possamos ter a solidariedade social muito activa e que continuemos a apoiar os mais desfavorecidos", defendeu a ministra. E os equipamentos sociais que vêm dar resposta ao aumento da média de vida dos portugueses e às mudanças sociais que impedem as mães de ficarem em casa com os seus filhos "só podem ter sucesso porque se baseiam na cooperação entre Governo, autarquias e sector de acção social da sociedade civil". Prova disso são os dois equipamentos inaugurados no domingo.

Aos equipamentos junta-se um conjunto de políticas sociais. "É na junção dos dois que podemos dar uma resposta de qualidade e ajudar a fixar as populações fora dos grandes centros urbanos", afirmou Helena André.

No final da manhã de inaugurações a ministra garantiu aos jornalistas afastou qualquer possibilidade da actual crise e a consequente contenção orçamental impedirem a concretização das obras aprovadas pelo PARES. "Continuamos a fazer acordos de cooperação com as instituições e continuamos a terminar as obras", afirmou lembrando que muitas das obras estão já no terreno.

Até ao final do próximo ano deverão estar concluídos os 614 equipamentos aprovados pelo programa, que põe "acima de tudo e qualidade de vida dos nossos cidadãos". Um investimento global de 212 milhões de euros que se vai traduzir na criação de 38.500 novos lugares nas valências de apoio aos idosos, às pessoas com deficiência e às crianças.