Siga-nos

Perfil

Expresso

Gazeta das Caldas

Caldas Late Night sem novidades atraiu gente de fora à cidade das Caldas da Rainha

Foi até o sol raiar a habitual festa de encerramento do Caldas Late Night (CLN) que juntou várias centenas de pessoas na escola de artes caldense. Além das habituais projecções nos vários edifícios da escola, estiveram a funcionar três pistas de dança, com géneros diferenciados, o que acabou por permitir ao público mudar de ambiente durante toda a noite.

Gazeta das Caldas / Natacha Narciso

O CLN de 2010 estendeu-se por dois dias, 27 e 28 de Maio e segundo a organização foi "um êxito" ou pelo menos "melhor do que as três edições precedentes", disse Tiago Lopes um dos elementos da organização, satisfeito com a adesão de participantes e de público à 14ª edição desta iniciativa.

O organizador lamentou apenas o cancelamento de algumas das intervenções pelos próprios autores e também o facto da Câmara não ter autorizado o corte de uma das ruas no centro da cidade e que "acabou por impedir que fosse realizada mais uma das instalações previstas", explicou o organizador.

O primeiro dia, quinta-feira, ainda se temeu que a chuva prejudicasse o evento mas os aguaceiros ao início do serão não foram suficientes para estragar a festa.

Houve o habitual arraial na Rua Dr. Leão Azedo e várias casas abriram portas para apresentar as mais variadas propostas artísticas. Algumas que estavam previstas para acontecer nos dois dias, optaram por abrir apenas na sexta-feira, dia sempre mais forte do CLN.

No dia 28, tal como tem acontecido nos últimos anos, decorreu no centro da cidade a Guerra de Almofadas que é sempre um motivo de grande animação. Dezenas de jovens divertem-se à almofadada, em vários rounds e nem o Toma escapa a levar com as almofadas que são sempre surpreendentes. Há até quem traga os grandes formatos dos sofás. Ao final da tarde era também constatável pequenas bancas de venda de bifanas e de cerveja, a 1,50 euros e a 50 cêntimos, respectivamente. Ao início do serão, "já não há cerveja, agora só bifanas", explicava o vendedor habitual.

Alem dos visitantes estrangeiros ( na sua maioria alunos de Erasmus) é já também o hábito ver famílias completas a visitar as propostas do Caldas. "Vieram ao CLN várias pessoas do Porto, Lisboa, Coimbra e de Leiria", disse Tiago Lopes acrescentando que no total terão sido 60 as intervenções que nesses dois dias contribuíram para animar a cidade. Não faltaram propostas nas praças, no Parque e também reabriu um dos ex-libris da cidade, o Estúdio Um que acabou por acolher uma mostra de vídeo e uma exposição de fotografia.

Para o ano o CLN vai estar de regresso e é sempre uma surpresa pois a qualidade do evento está sempre dependente das apresentações. Além dos alunos da ESAD tem sido crescente a participação de autores de outras das escolas e até há trabalhos originais de caldenses a frequentar universidades em Lisboa e alunos do ensino secundário também mostraram que são capazes de surpreender.