Siga-nos

Perfil

Expresso

A vida de saltos altos

Saber dizer N-Ã-O!

De que nos vale o "Sim", se excluímos o "Não"? Nada. Somos homens e mulheres sem limites e pouco respeitados.

Raquel Pinto (sapato nº37) (www.expresso.pt)

Três letras apenas comportam em si um derradeiro desafio para muitos homens e mulheres. É difícil dizer "Não". É conflituoso saber negar nos vastos domínios da nossa vida.

Conseguimos debater ideias, revelar pontos de vista e utilizar argumentos nas mais variadas ocasiões, mas inúmeras vezes falta-nos a coragem para dizer a tenebrosa palavra. Seja para evitar desagradar alguém, por vergonha, medo da retaliação ou até comodismo.

Alguém que recusa assumir com convicção as suas escolhas e estabelecer prioridades, trai o seu amor-próprio, a sua identidade. Cada "Sim" sem um pingo de verdade é um "Não" a nós próprios. Um homem ou uma mulher que suprime limites perde o respeito. Falo do "Não" sem desculpas, sem problemas de consciência. O "Não" que é "Não". Ponto final. Porque temos a certeza dos nossos direitos.

Que poder atribuímos aos outros para "engolir sapos" e nos retirarem a alegria ou o prazer? Um dos pontos essenciais do nosso percurso é comunicar aos outros o quanto gostamos deles e da mesma forma podermos confessar que há algo naquela pessoa que nos aborrece ou magoa.

O "Não" oportuno é um direito, é dizer "Sim" a nós. Elevar preferências com respeito e verdade. A acção-chave incide no equilíbrio. O difícil é atingi-lo com ousadia e coragem para nos afirmarmos. Independentes e autênticos. Só desta forma poderemos sê-lo também com todos aqueles que nos rodeiam.

Um amigo disse-me há uns dias: Os limites não são um obstáculo à liberdade. São justamente o caminho. Honre as suas opções com firmeza. Seja feliz e faça os outros felizes. Bom fim-de-semana!