Siga-nos

Perfil

Expresso

A vida de saltos altos

Loiras giras e de mini-saia não são bem-vindas no Mundial

Na passada segunda-feira 36 jovens de vestidos curtos cor-de-laranja foram expulsas do jogo do Mundial entre a Holanda e a Dinamarca. Fui investigar.

Solange Cosme (sapato nº39) (www.expresso.pt)

Desde sempre que fui adepta de desporto e confesso que ocupo boa parte do meu tempo-livre com actividades desportivas. O companheirismo que encontro na escalada, a boa disposição de um jogo de ténis, o espírito de equipa que se encontra num passeio de bicicleta, a perseverança de uma corrida à beira rio ou a competição saudável de uma regata sempre foram valores pelos quais pautei a minha vida. Curiosamente nunca fui grande adepta de futebol. Desculpem. E desculpem porque estamos em época de Mundial e sei o quanto isso é importante para muitas pessoas e respeito isso.

Digamos que sou aquele tipo de pessoa que vê os jogos da selecção mais pelo espírito patriótico do que por gostar especialmente de futebol.

Tudo isto para dizer que, não sendo apreciadora de futebol e não percebendo absolutamente nada de tácticas de jogo, de equipas-estrela e jogadores fantásticos, esta semana li uma notícia que me deixou ainda mais confusa em relação ao desporto-rei.

Na passada segunda-feira trinta e seis jovens de vestidos curtos cor-de-laranja foram expulsas do jogo entre a Holanda e a Dinamarca. A FIFA considerou que o vestuário fazia parte de uma campanha de uma marca de cerveja, o que levou mesmo à detenção de duas jovens por publicidade ilegal. Fui investigar.

Em primeiro lugar descobri que na África do Sul não é grave os jornalistas serem assaltados à mão-armada em quartos de hotel mas é muito grave a publicidade ilegal (publicitários, esses criminosos violentos!). Em segundo lugar, descobri que 36 mulheres lindas e fantásticas, de vestidos curtos cor de laranja, maioritariamente loiras a torcer por uma equipa, num desporto maioritariamente masculino.... Não são bem vindas. Aliás, segundo as próprias, foram mesmo empurradas por cerca de 40 seguranças e interrogadas durante horas nas instalações da FIFA - E parece que nem estavam com Vuvuzelas!

Volto a reforçar que não percebo nada de futebol, por isso gostava mesmo que alguém me explicasse: portanto, os adeptos podem embebedar-se, destruir estádios, insultar os adversários e fazer todo o tipo de atrocidades. Agora, miúdas giras no estádio é que não! É isso? Então homens? O que é que se passa com vocês? Ainda se fosse num jogo da selecção portuguesa, eu percebia... É que tanta loira junta podia confundir o nosso querido Ronaldo!

Se a moda pega, já estou a imaginar, em Portugal, no próximo jogo Benfica - Porto (ou algo do género), o Sr. Agente da Autoridade a dizer para um adepto: "Sim, a marreta para bater no adversário pode levar, agora a sua namorada loira e gira, com esse micro-vestido com a bandeira de Portugal é que não pode entrar! Oh amigo, eu não sou parvo e vê-se logo que isso é um patrocínio da Sagres!"

Ainda bem que sou morena... não me vá apetecer um dia ir ver um jogo.