Siga-nos

Perfil

Expresso

A vida de saltos altos

Lei de Murphy: Sorria... amanhã será pior!

Para quem acha que quando algo corre mal, pode sempre correr pior, confirmo e assino por baixo. Comigo foi assim...

Sofia Rijo (sapato nº39) (www.expresso.pt)

Não vale a pena fazer grandes planos pois estes correm sempre o risco de não serem concretizados... nem que seja uma simples tentativa de ir para a praia.

Tal como alguns portugueses sortudos usufruí, quem sabe pela última vez - caso nos tirem certos feriados e pontes para sermos um país de gente altamente produtiva, mas, claro está, sem tocar nos rendimentos dos grandes gestores portugueses - de uns dias na mais cálida das regiões portuguesas, mais concretamente o Barlavento Algarvio. Como companhia imprescindível levei livros, apesar de durante toda a estadia apenas me ter lembrado de um que não levei, mas que li há já alguns anos. Fala o dito cujo sobre a sempre presente e actual "Lei de Murphy"... talvez para me convencer que realmente, quando algo corre mal, pode correr sempre pior. Passo a explicar.

Antes de tirar férias senti aquela ansiedade constante de quem sonha passar meia dúzia de dias debaixo do sol e aproveitar as águas mornas do sul do país. Maior engano não seria possível: Primeiro, na véspera de viajar, ei-la que surge, a intrépida mas fulminante infecção pulmonar respiratória, diagnosticada por duas vezes, por dois médicos do Serviço Nacional de Saúde, com o "não se preocupe, é só uma constipaçãozinha, e quanto aos brônquios e pulmões não se aflija, estão limpinhos, tome só um bem-u-ron se tiver dores ou febre".

Tentativa de férias: capítulo 2

Tudo bem, diz o grilo falante, faz a mala e ruma ao sul, mas antes mede a temperatura, para ver se está compatível com o tempo lá fora. E não é que estava ainda mais alta! Mais de 38º, tonturas e vontade para fazer tudo... menos ter de conduzir 300 quilómetros. Mas como não sou mulher de desistir - e a vontade de descansar fora da capital era maior - toca de tentar fazer o saco, tomar anti-piréticos, anti-inflamatórios, gotas e sprays, recomendação feita antes dos dois médicos, pelo serviço Saúde 24.

Aparentemente estava tranquila, e não fosse sentir algo semelhante ao ser abalroada por uma manada de elefantes. Decidi consultar o meu médico de longa data (este providenciado pelo serviço médico privado, claro está) que por uma questão de antiguidade e amizade não me cobrou o dinheiro de consulta, mas me deu a incrível notícia "Sofia, mais um dia e estava com um caso grave de pneumonia, e os seus brônquios só têm tratamento com antibiótico. Claro está, nada de diferenças de temperatura. Trate de descansar". ESPECTACULAR!!

Ainda bem que as consultas de dois médicos e de um enfermeiro via Serviço Nacional de Saúde e Saúde 24 serviram para NÃO ME AJUDAR, ABSOLUTAMENTE NADA!!!

Tentativa de férias: capítulo 3

Para quem acaba de entrar de férias e olha para um céu azul e sol radiante, esta notícia é semelhante a um pontapé nas costas. Seis dias volvidos, e possivelmente depois de projectar metade dos pulmões com a tosse, o antibiótico fez das suas e rumo eu feliz ao Algarve, na esperança de uma semaninha de sol, calor, férias, descanso, sono descansado.A viagem corre bem, pouco trânsito, e o final do dia parece anunciar o descanso merecido.

Por todo o território nacional fez mau tempo, frio, chuva, com temperaturas máximas na ordem dos 20º... e eu que sempre achei que o Algarve era outro país. Mas não, São Pedro, talvez por alguma incompatibilidade com o Santo António (coisas de homens), decidiu em má hora trocar-me as voltas.

Voltei hoje de madrugada, ainda com tosse e pronta a trabalhar e a pensar no único dia de praia que usufruí... ontem, mas sem banho, já que a temperatura da água deveria rondar os 15º.

Melhor notícia de todas: Acabo hoje a segunda caixa de antibiótico, tenho pouca tosse... e vou ter mais férias em Agosto... quiçá, em Setembro também. Espero nessa altura que vírus e bactérias decidam tirar férias, e que o São Pedro já ande mais bem disposto, ou então que vá de férias. 

"Se alguma coisa puder correr mal, correrá mal".

Corolários 1. Nada é tão fácil como parece. 2. Tudo leva mais tempo do que se julgava. 3. Se existe alguma possibilidade de diversas coisas correrem mal, aquela que causar maior dano será precisamente a que correrá mal. 4. Se você se apercebe de que há quatro maneiras de uma coisa correr mal, e se ultrapassar estas quatro, uma quinta possibilidade aparecerá imediatamente. 5. Deixadas a si mesmas as coisas tendem a ir de mal a pior. 6. Sempre que você se decidir a fazer alguma coisa, haverá qualquer outra coisa que terá de fazer primeiro. 7. Toda a solução gera novos problemas. 8. É impossível criar alguma coisa à prova de tolos, porque todos os tolos são sumamente engenhosos. 9. A natureza alinha sempre com imperfeição oculta. 10. A mãe natureza é tramada. Filosofia Murphy "Sorria. Amanhã será sempre pior". Constante de Murphy "A matéria será danificada na proporção directa do seu valor". Revisão quantitativa da Lei de Murphy "Se perdermos muito deixando as coisas correrem mal, temos de tomar as maiores precauções; Se nada temos a perder com uma mudança, relaxemo-nos; Se nada temos a ganhar com uma mudança, relaxemo-nos; Se temos tudo a ganhar com uma mudança, relaxemo-nos; Se não tem importância, não tem importância".