Siga-nos

Perfil

Expresso

A vida de saltos altos

Give a Little Respect

Já Cindy Lauper dizia "Girls Just wanna have fun", mas era  preferível se soubessem realmente fazê-lo sem invadir espaços alheios e sabendo comportar-se melhor que teenagers em plena confusão hormonal.

Sofia Rijo (Sapato nº39) (www.expresso.pt)

Não sou fundamentalista e consigo divertir-me em qualquer ambiente. Mas se há coisa que me aflige é que, sendo eu uma acérrima defensora do sexo feminino, existam cada vez mais pessoas, sobretudo do mesmo sexo que eu, a fazer figuras tristes que anteriormente eram unicamente masculinas.

Se não é a festa da mangueira, do engate ou o que quer que seja, é a exibição do suposto macho Alfa, que quer ver se come qualquer coisa nem seja o travesti, o mamarracho de mini-saia ou a mamalhuda, que por sinal se roça nas costas do nosso namorado durante toda a noite. Também temos mitra que se faz a qualquer coisa que se desloque em duas pernas e tenta meter conversa descarada connosco, sem reparar que estamos com o namorado.

Para se ser respeitado, é preciso dar-se ao respeito, e sinceramente na noite actuamente, vê-se gente tão desesperada, mas mesmo muito desesperada, que não olha a meios para atingir fins, mesmo que se sujeite a fazer figuras ridículas.

No caso das senhoras ... sejam-no! Não tem piada cair dos saltos altos com uma bebedeira descomunal onde acabam a chamar pelo"Gregório". Ficam com mau hálito e duvido que ver as vossas cuecas não seja interesse público. Homens! Não há paciência para bebedeiras, cheiro a álcool e para danças ridículas no meio da pista (sim, estão a olhar para vocês, mas não é por dançarem como o Fred Astaire, OK?)

Final da noite...

Conclusão, as aparências iludem, e nem sempre os lugares ditos "de referência" são-no realmente. O desespero é cada vez mais uma constante, e quem precisa de aditivos para se conseguir divertir, definitivamente não sabe qual o significado da palavra diversão, e tem uma visão totalmente distorcida do que é beber socialmente.

Eram  três da manhã quando saí, e confesso que ainda não sei porque não saí mais cedo. As únicas certezas que tive naquele momento foram, a minha cama "king size", chegar inteira a casa (e com ele de preferência-porque depois de tanto assédio era de recear)  e nunca mais me arriscar a ser confundida com alguma das espécies que inundavam a noite daquele espaço nocturno, ao qual me recuso a voltar.

RESPECT ... TO GET IT, YOU MUST GIVE IT

"Respect" por Aretha Franklin- Nunca é demais...