Siga-nos

Perfil

Expresso

Exames do dia

Excertos de uma crise fácil

Maria Luísa Vasconcelos, Professora da Universidade Fernando Pessoa

Dez anos passados, continuamos a debater os mesmos temas na Europa. Na prática muito pouco evoluímos na reforma das instituições. Senão vejamos, em 2010 com em 2001, quando Portugal estava "de tanga":

"(...) A dimensão europeia é um vector indispensável e incontornável da governação: entendamos a Europa como um imenso portento económico, que dilui insuficiências de desempenho mas igualmente veicula desafios inescapáveis sobre a economia portuguesa. Daí, a relevância da alguma protecção que nos advém da existência do euro, da União Económica e Monetária e, por essa via também, da disciplina orçamental conjunta que fortalece os instrumentos financeiros dos Estados-membros. (...) O Pacto de Estabilidade, se bem executado, é um aliado e não um adversário da economia portuguesa. O que se torna forçoso é "flexibilizar prudentemente" o Programa de Estabilidade, ajustando-o ao novo cenário macroeconómico. (...)

Sabemos os investimentos e as reformas que têm de continuar a ser feitos e temos a coragem de dizer aos portugueses que "fazer vingar os objectivos sociais, prejudicando a eficiência económica, é o mesmo que inviabilizar qualquer projecto de socialismo democrático no longo prazo". Por isso, pretendemos continuar a trabalhar no sentido da consolidação das finanças públicas, não renunciando, de véspera, a objectivos cruciais de médio prazo e, em simultâneo, a operacionalizar o investimento público como instrumento adequado de estabilização. (...)

Materializando-se uma recessão prolongada nos Estados Unidos, que, propagada à Europa, aflija Portugal, mesmo as metas de médio e longo prazos deverão ser revistas, o que obrigará a União Europeia, neste caso e só neste caso, a rever o Pacto de Estabilidade. Mas deverá então ser obra conjunta dos seus Estados-membros e não o resultado de uma desgarrada fuga imprudente.

Entretanto, é necessário manter a determinação no cumprimento das nossas metas, ainda que este seja um exercício "difícil e exigente". Este é o nosso caminho, naquilo que queremos que seja a garantia, no médio e longo prazos, dos nossos valores e compromissos de solidariedade, desenvolvimento e justiça social."

Intervenção de Luísa Vasconcelos na Reunião Plenária de 2001-10-18, VIII LEGISLATURA [pic][DAR I série Nº.14/VIII/3 2001.10.19 (pág. 483-484)] Iniciativa Discutida: Projecto de Resolução 152/VIII-3 Suspensão e Revisão do Pacto de Estabilidade.

Clique na imagem para visitar o site da Universidade Fernando Pessoa

Este texto é da inteira responsabilidade do autor e da entidade representada.