Siga-nos

Perfil

Expresso

O Vento nas Velas

O pavão da Globalização

Pormenor de Biombo Namban do Museu Nacional de Arte Antiga

Os Descobrimentos portugueses desencadearam dinâmicas revolucionárias nas relações entre os povos. Sintomaticamente, os indianos falam de uma "Era Gâmica", por entenderem que a chegada de Vasco da Gama às suas praias correspondeu a um momento singular, gerador de mudanças profundas. Foi, de facto, o início da Globalização.

João Paulo Oliveira e Costa

Numa primeira fase, os Portugueses, na sua aventura ultramarina, foram sobretudo transportadores. "São homens que trocam o que têm por o que não têm", terá sido uma das expressões por que um chinês apresentou aos japoneses os primeiros portugueses desembarcados em Tanegashima. Significa isto, que na sua diáspora os navegadores lusos não se limitaram a levar produtos europeus para certos locais e a regressar daí para o seu porto de origem. Pelo contrário, no seu movimento incessante entre vários continentes, puseram gentes, plantas, animais e saberes em circulação em todas as direcções. Foi assim que o coqueiro entrou no mundo atlântico.

País semi-isolado do mundo até ao aparecimento dos Portugueses, o Japão foi particularmente sensível às novidades que vinham a bordo dos navios daqueles homens estranhos, de olhos grandes e nariz comprido, que mostravam os seus sentimentos sem rebuço e que, a princípio, não sabiam comer com pauzinhos. Num dos biombos namban conservados no Museu Nacional de Arte Antiga sobressai um animal, desenhado na sua forma esplendorosa - um pavão está próximo dos portugueses de cauda aberta, mostrando suas penas coloridas. Como sempre, os artistas nipónicos notavam nestas obras de arte as novidades que mais os admiravam.

Esta ave de cauda magnífica, que causou naturalmente o espanto dos japoneses, chegou ao país do Sol Nascente por mão de europeus, mas não viera de tão longe quanto os seus transportadores, pois não pertencia à fauna europeia. O pavão fora embarcado na Índia, o seu país de origem e daí seguira viagem transportado pelos primeiros agentes da globalização.





Coordenação



Cristina Castel-Branco e João Paulo Oliveira e Costa



Assistência Tecnica



Inês Pinto Coelho e Margarida Paes



Colaboradores



Alexandra Curvelo, Ana Fernandes Pinto, Leonilda Alfarrobinha, Pedro Canavarro