Siga-nos

Perfil

Expresso

A Europa desalinhada

Férias nas margens do Lago Báltico

Nas próximas décadas, o mar Báltico poderá tornar-se um lago de água doce quente e um local de atracção turística para os europeus, escreve a Newsweek Polska

Pedro Cordeiro

Pedro Cordeiro

Editor da Secção Internacional

Clique para saber tudo o que se passa na Europa

O motivo prende-se com o facto de as suas águas estarem menos profundas e mais doces, devido ao aquecimento global e a um insuficiente caudal de água do mar do Norte. De acordo com um estudo científico, a salinidade do mar Báltico, actualmente nos 7%, irá descer até aos 5% nos próximos anos. Se bem que uma temperatura mais quente da água e uma salinidade mais baixa possam fazer crescer o interesse turístico do Báltico, uma consequente redução nos níveis de oxigénio pode levar ao desaparecimento de grande parte da vida marinha, incluindo do bacalhau. Há um cenário ainda menos optimista, alerta o semanário polaco, quando diz que o Báltico poderá vir a ser um pântano tóxico, coberto de algas azuis-verdes, por causa da imensa quantidade de adubos lançados ao mar todos os anos. Se não se fizer nada, o Báltico "irá ficar sem água e pantanoso e acabará por desaparecer".