Siga-nos

Perfil

Expresso

A Europa desalinhada

Em caso de divórcio, o bebé Europa é que paga

Angela Merkel e Nicolas Sarkozy não podiam ter escolhido pior momento para se travarem de razões, escreve "Die Zeit".

Clique para saber tudo o que se passa na Europa

A situação está cada vez mais perigosa. Numa altura em que a Europa atravessa uma das mais graves crises da sua história, Angela Merkel e Nicolas Sarkozy continuam sem encontrar um patamar de entendimento. É difícil expressar o que foi mais penoso no seu encontro falhado de há duas semanas e no espectáculo que deram na conferência de imprensa de 14 de Junho, em Berlim. A verdade é que a animosidade não pára de crescer de ambos os lados.

Algo mudou, ainda que os conhecedores da história do par franco-alemão insistam que Paris e Berlim sempre brigaram antes de se reconciliarem. Na verdade, durante as primeiras décadas do pós-guerra, as dissensões acabaram sempre em conciliações em torno da moeda, da economia e da Europa. A Guerra Fria obrigava os dois países a entender-se. Na década de 1990, esta premência foi substituída pelas incertezas da nova ordem mundial. A Alemanha e a França olhavam-se nos olhos e diziam: "Não me deixes só!".