Siga-nos

Perfil

Expresso

Aparelho de Estado

Não é só a economia, estúpidos

Inovação não é uma palavra, é uma cultura. E não é por acaso que na economia digital estamos (europeus) atrás em quase tudo.

Henrique Burnay (www.expresso.pt)

A maior parte da economia, e muito em especial a comunicação social, anda há anos a tentar perceber como ocupar o território digital. Na maior parte dos casos, têm imensos termos técnicos, mas andam a fazer tudo mal. Se olharmos com atenção, sobretudo no caso dos jornais, é como se quando surgiu a televisão alguém tivesse acreditado que bastava colocar câmaras de filmar nos estúdios da rádio. Aind anão perceberam que o paradigma mudou. Esse parte, grave, do problema. No caso europeu, a coisa complica-se ainda mais.

A Europa tem um modelo económico avesso à inovação. Por mais que use o termo a torto e a direito, a verdade é que não há uma cultura de inovação e empreendedorismo. A prová-lo, o facto de "a maioria dos negócios de sucesso na internet (Google, eBay, Amazon e Facebook) terem origem fora da Europa" - um eufemismo para Estados Unidos. Mais. Apenas uma em cada nove aplicações TIC (Tecnologias de Informação e Comunicação) da lista do Financial Times Global 500 são europeias. E apenas 4 dos 54 sites mais visitados pelos europeus é  são de origem europeia. Tudo dados da Agenda Digital   

Se a Europa quer resolver a sua crise tem de fazer muito mais do que resolver a crise das contas públicas, tem de mudar de paradigma. Como se diz no mesmo documento: provavelmente teremos work more, work longer and work smarter. O problema é saber se estamos preparados para as primeiras, e se se libertam as capacidades necessárias para a segunda. 

A Europa não é Bruxelas, se for, somos nós.