Siga-nos

Perfil

Expresso

Aparelho de Estado

Armando Vara percebeu que pode ganhar com as receitas de Equador

Bruno Sena Martins

O escritor e comentador Miguel Sousa Tavares (MST) disse há cerca de três anos: "Quando entra em cena Armando Vara, fico logo desconfiado."

Com a vantagem do tempo e com algum conhecimento sobre os rudimentos do caso Face Oculta, o comum cidadão, quando confrontado com a citação acima, ficará tentado a invejar o apurado faro de Miguel Sousa Tavares. A citação em causa, no entanto, longe de constituir um memorando, um reconhecimento de que Sousa Tavares cedo identificou o mordomo de que hoje se fala, surge numa notícia sobre o julgamento em que Armando Vara reclama a Sousa Tavares uma indemnização de 250 mil euros por danos não patrimoniais. Deliciosa ironia, mas vou-me calar antes que Armando Vara descortine neste textículo mais uma oportunidade de negócio.

Publicado também aqui.