Siga-nos

Perfil

Expresso

100 reféns

Venha o TGV e um Centro Espacial nas Caldas sff

Não percebo a implicância contra o projecto do TGV. Será que não percebem que Portugal estagna sem equipamentos "básicos"?

Tiago Mesquita (www.expresso.pt)

Não vai ser óptimo podermos ir comprar caramelos a Badajoz a 350 km/hora? E edredões? Que interessa se isso hipoteca o futuro da minha geração, dos filhos, netos e afins. Quero é dormir quentinho e fofinho. E poder comer um rebuçadito de vez em quando para ficar com a boca docinha.

Filhos? Devo ter ensandecido. Mas quais filhos? Mas desde quando é que hoje há dinheiro para ter uma ninhada que não seja de gatos? Gatos? Mas que gatos? E a areia, o desodorizante, a comida que tem de ser sénior (a 10€ o quilo) senão eles ficam com diarreia, o hotel nas férias, as vacinas da hepatite, da sida, da gripe, e os guizos?

Será que ninguém entende que o TGV é fundamental para Portugal? Como os 10 estádios foram para o Euro. O que é feito deles? Já foram ver? Mas o pagode enquanto durou foi bom, não foi? Tudo feliz, depois veio esse colosso Europeu que é a Grécia como se está a ver e puff...

E projectos megalómanos como o Freeport? Com as lojas cheias de moscas. Não resultou? Não faz mal, abre-se o maior da Europa, o Dolce Vita qualquer coisa e resolve-se o problema. Nos países ricos é assim que funciona.

O que será de nós sem uma ligação de TGV a Elvas? Como poderemos ir ver concertos do Tony Carreira no Coliseu Rondão de Almeida? Como iremos à festa das flores em Campo Maior ou visitar a fábrica do Comendador Nabeiro? Temos que ir pela auto-estrada que liga directamente a Setúbal, Lisboa ou Carregado, ou mais a norte à A23? Somos pobres agora é?

Que interessa se para ir a Madrid demoro mais indo de TGV pagando o quíntuplo do que se fosse num avião comercial? O avião por acaso pára na Gare do Oriente para eu comer uma sandes de presunto e ouvir um grupo de peruanos a tocar flauta? E por acaso o avião anda a 350 km/h? Anda ao dobro? A sério? Ah pronto então já cá não está quem falou.

Já que vamos nisto do TGV, porque não construir um centro espacial nas Caldas da Rainha? Era giro e incentivava a economia local. Vendíamos canecas de barro do Zé Povinho montado num Space Shuttle. E se fossemos nós os primeiros a chegar a Marte? Aposto que o Sr. Eng.º consegue esse feito no intervalo para o lanche. José Lello e Santos Silva a aterrar em Marte já em 2011 era bonito. E não me parece difícil. Muitos políticos já vivem no mundo da lua há muito tempo.

Portugal é um país que não pensa. Liderado por um grupo de pessoas que por aqui deambula há décadas saltando entre governos, autarquias, banca e empresas públicas e privadas que supostamente em nome dos portugueses desgovernam com medidas desajustadas. Medidas que visam defender interesses instalados e por instalar. Nunca os da maioria dos cidadãos. O TGV não é para o bolso dos portugueses. Quem diz que é certamente nunca pagou um bilhete do Eurostar. Mas uma coisa é certa, é do nosso bolso que ele vai sair.