Siga-nos

Perfil

Expresso

100 reféns

Brigada de Trânsito a multar de chapéu de palha e óculos de sol

As autoridades adoptam formas cada vez mais originais para conseguirem multar quem circula. Não está em causa a justiça do acto mas a forma como actuam. Eles chamam-lhe prevenção. Eu chamo-lhe caça à multa.

Tiago Mesquita (www.expresso.pt)

Achei estranho ver em plena estrada nacional um senhor de chapéu de palha na cabeça e óculos escuros a ler o jornal A Bola encostado è frente de uma Ford Transit azul. Não que haja qualquer problema em ler A Bola. Até há quem chame a este jornal a Bíblia. Se bem que não me recordo de ter lido na Bíblia qualquer passagem com os apóstolos a jogar em 4-3-3 ou 4-4-2. O facto da carrinha estar a cair de podre, mal estacionada e de não se ver ponta de sol nesse dia também não são o cerne da questão.

O estranho foi ver que entre as pernas do senhor se encontrava algo mais do que o normal num ser humano do sexo masculino. Tinha um tripé imagine-se. Tripé que segurava um radar. Por sua vez o radar registava a velocidade de quem ia passando. Os mais acelerados eram convidados a parar algumas centenas de metros à frente por uma viatura, esta sim identificada, da BT. Não para comer um pastel de Tentúgal ou beber um descafeinado mas para ser "autuado".

À GNR está incumbida a missão de supervisionar o trânsito nas estradas: "Sabendo que os problemas decorrentes da circulação rodoviária afectam todos os cidadãos, é para nós de grande importância poder interagir com os utentes das estradas, facultando-lhes informações que possam contribuir para a consciencialização da necessidade de mudança de comportamentos na condução, de forma a atenuarmos o drama da sinistralidade rodoviária."

Pergunto: de que forma é que o senhor do chapéu de palha "interagiu" comigo? Que informações é que este me poderia prestar caso necessitasse? O resultado do jogo Porto - Braga? "Drama"? Devem estar a falar da camisa havaiana que o senhor vestia. Mudou o meu "comportamento de condução"? Mudou: ri-me tanto que só não fui contra um Pinheiro porque não calhou.

Em quase toda Europa há radares fixos devidamente assinalados nas estradas. Autoridades identificadas multam quem transgride. Em mais nenhum país vejo a polícia inventar estratagemas, encontrar esconderijos ou jogar ao gato e ao rato com condutores para obter resultados.

Se o interesse é na realidade prevenir e não pura e simplesmente ir ao bolso dos condutores, tornem a prevenção visível, sem chapéus de palha. Podem crer que os condutores irão circular bem mais devagar. O dinheiro das multas também encolhe, mas não se pode ter tudo. Leiam outra vez (mais acima entre aspas) o que apregoam e escolham. Os resultados estão à vista, no nosso e nos outros países.