Siga-nos

Perfil

Expresso

Roupa para lavar

Pinho na China: mais um passatempo divertido e educativo

 

Personagem meditando sobre a loucura, Magritte, 1928

A viagem de Manuel Pinho à China foi muito mais que a frase infeliz sobre os nossos salários baixos, que ofuscou todo o brilho e fulgor da presença do ministro da Economia na pátria de Mao Tsé Tung.

Com o subido objectivo de conceber um passatempo, a um tempo divertido e educativo, sobre a viagem de Pinho à China, a Roupa para Lavar consultou atentamente vários jornais, com especial destaque para a genial reportagem assinada por Pedro S. Guerreiro, que ocupa quatro páginas da edição de 3ª feira dia 6, do Jornal de Negócios, profusamente ilustrada com desenhos inéditos do émulo do saudoso Oliveira da Figueira.

Como é já habitual nos nossos passatempos, a resposta certa é sempre a b).

1. A quem cravou Pinho um cigarro, a bordo do Boeing 767 que o trouxe de volta da China?



a) Macário Correia;

b) António Mota (Mota-Engil)

c) Noddy.



2. Para onde atirou a beata acesa quando acabou de fumar?

a) Enfiou-a na boca e engoliu-a;

b) Deitou-a no recipiente do lixo embutido na cozinha do avião, obrigando a uma intervenção imediata e de emergência da hospedeira para evitar que deflagrasse um incêndio;

c) Escondeu-a no bolso direito do casaco de Sócrates, que dormia na primeira fila do avião, com os olhos vendados.



3. O que disse o ministro a Pedro S. Guerreiro à saída da Palácio do Povo (Pequim)?

a) "Sabe por que é que o Sócrates já não anda com a Fernanda Câncio? Quer que lhe faça um desenho?"

b) "Quer voltar a falar sobre a minha visão sobre politica económica? Tenho mais uns desenhos..."

c) "Sabia que a linha telefónica de apoio às lésbicas chinesas está congestionada? Já falei disso ao Granadeiro e ele concordou que é uma bela oportunidade de negócio para a PT..."



4. Quando foi a primeira vez que Pinho confiou a S. Guerreiro os seus esboços em desenho sobre o futuro da economia portuguesa?

O ministro é o cavalheiro sem óculos que está ao lado do S. Guerreiro

a) Há sete meses, na Horta Seca, no final de um almoço de dourada grelhada (criada em cativeiro pela Pescanova), abundantemente regado com duas garrafas de Planalto (fresquinhas);

b) Há seis meses, durante a viagem de José Sócrates ao Brasil;

c) Em Janeiro, no primeiro intervalo da estreia da peça Hamlet no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, onde foi acompanhado por dois outros fãs de Shakespeare: Lili Caneças e Carlos Castro.



5. Com que frase enigmática o ministro deu por terminada a sessão de desenho com o jornalista?

a) "Quatro. O número mágico é quatro. São quatro os evangelhos canónicos, os pontos cardeais, os ventos e as bestas do Apocalipse"

b) "A Autoeuropa é do caraças";

c) "Hasta la vista, baby".



6. Quais são para Pinho os cinco sectores-estrela da economia portuguesa?

a) Têxtil, calçado, agricultura, cerâmica e cortiça;

b) Madeira, petroquimica, turismo, energia e piscicultura;

c) Aeronáutica espacial, jogo, futebol e prostituição.



7. A que se referia o minìstro da Economia quando disse: "é assim, pequenina..."?

a)  À dimensão do seu órgão sexual;

b)  À economia portuguesa;

c) À distância que o separa do PSD.  



8. Qual foi a frase em inglês que usou para se caracterizar?

a) "I'm the special one";

b) "I'm the one they love to hate";

c) "I am a machine".



9. Depois de Pinho ter dito a frase fatal ("Somos um país muito competitivo em termos de custos, nomeadamente custos salariais, que são mais baixos do que a média da UE") Sócrates falou com ele em altos berros. Qual foi o objectivo desta descompostura, de acordo com uma fonte oficial do gabinete do primeiro ministro?

a) "Exercer alguma violência psicológica sobre o ministro e ameaçá-lo com o esvaziamento de funções, e atribuição de tarefas mais condizentes com as suas qualificações, se ele não conseguir para de dizer disparates";

b) "Levantar o ânimo do ministro, incentivá-lo e obrigá-lo a reagir, porque ele tinha ficado muito em baixo depois de conhecer as reacções em Portugal às suas declarações sobre os salários dos portugueses".

c) "Convencer o ministro a adoptar uma nova terapia comportamental que consiste em todos os dias, à noite, repetir dez vezes, em frente ao espelho da casa de banho, a seguinte frase: 'Eu sou muito bom, eu sou muito inteligente e as pessoas gostam todas muito de mim'".



10. O que disse Jorge Coelho a propósito da frase fatal de Pinho?

a) "Ele está lelé da cuca";

b) "Convém dizer, em abono da inteligência de Manuel Pinho, que ele não pensa aquilo, como e óbvio"

c) "Ir para a China falar nos baixos salários portugueses é como vender gelados aos esquimós ou petróleo à Arábia Saudita" 

 

Um dos desenhos de Pinho (colecção particular do Jornal de Negócios)