Siga-nos

Perfil

Expresso

Roupa para lavar

O BPI é tão meu amigo que até me escreveu a dizer que me dá um iPod

                                    

Fiquei muito satisfeito por saber que o BPI está interessado em ter-me por cliente. Acho que todos nós gostamos de nos sentir desejados. A boa notícia chegou ontem à minha caixa do correio.



A Carla Chousal, directora central da Direcção de Marketing (com esta função ganha de certeza mais do que eu) começa por me dizer que eu não lhe sou desconhecido. Claro. O BPI conhece-me de ginjeira através dos generosos e abundantes movimentos que faço há vários anos com o meu cartão de crédito Visa Universo. Neste caso, a satisfação é uma rua com dois sentidos. O pessoal do BPI esteve a analisar o histórico do meu cartão de crédito e gostou do que viu. Só falhei uma vez a data do pagamento - por poucos dias e por distracção. Uso a opção de pagamento a 100%, o que é pior para o banco, que preferiria que eu contribuisse um pouco mais para a sua conta de resultados, recorrendo a taxas de juro com dois digitos, mas, enfim, não se pode ter tudo. O BPI concluiu que eu tenho potencial para ser um bom cliente.



Vai daí a Carla (cuja assinatura revela uma caligrafia tão arrastada que acho merece uma vista de olhos de um perito em grafologia) escreveu a tentar seduzir-me. Se eu abrir até ao final de Janeiro uma conta no BPI para pagar a conta do meu Visa Universo, ela dá-me um de quatro presentes à escolha.

A lista é aliciante:



+ GPS Tom Tom One

+ iPod nano 2 GB

+ Máquina de café Nespresso Krups XN 2001

+ Pack DVD 5 séries do 24 Horas

Já tenho a máquina Nespresso (que recomendo vivamente, o sistema da cápsulas é fabuloso, sem bem que não seja barato, pois cada uma custa pelo menos 30 cêntimos).

O GPS seria muito útil para me orientar mas não me ajudava encontrar-me, que é realmente o que importa. O 24 é a série das séries e eu estou morto por deitar a luva à 5ª série para a ver de empreitada, num fim de semana, mas já tenho as quatro sagas anteriores do nosso amigo Jack Bauer. O iPod, bem o iPod acho que me dava jeito, pois acho que sou a única pessoa que faz jogging na Foz desprovida de fios brancos e auscultadores nos ouvidos.



No final da carta, a Carla desafia-me - "Aproveite já esta oportunidade única" - e aconselha-me a ligar para a Linha Universo para obter mais informações. Acho que vou seguir o conselho dela. Quero ver as letras pequeninas desta "oportunidade única". Será que exigem que eu domicilie o meu salário no BPI? (Nesse caso nada feito). Qual será o saldo mínimo que a conta tem de ter? Por quanto tempo vou ter de manter a conta?



Já tenho idade suficiente para não confundir o Fernando Ulrich com o Pai Natal. Não foi a descer pelas chaminés com um saco de presentes no ombro que os cinco maiores bancos portugueses lucraram 1,3 mil milhões de euros no primeiro semestre deste ano.

Jorge Fiel, jornalista