Siga-nos

Perfil

Expresso

Emprego e Carreira

Love is in the air

Um olhar, uma faísca e começa irremediavelmente a apaixonar-se pelo seu colega de trabalho. Quando dá por si está a controlar as hormonas e a pensar racionalmente para que a relação cordial se mantenha exactamente onde está. E faz muito bem. Qualquer especialista em recursos humanos lhe dirá que manter uma relação amorosa no local de trabalho não é de facto uma boa ideia, principalmente quando esta depois termina. Cruzar-se com o seu ex, numa base diária não pode ser bom para os seus nervos, nem para a sua produtividade. Mas...

 

- Imagine que ele/ela é de facto a sua cara-metade. Está mesmo disposto(a) a abrir mão dessa possibilidade por uma questão de ética laboral?

 

- Pesquisas várias revelam que oito em cada dez profissionais gostariam de passar mais tempo com a sua família. Se tem uma profissão muito absorvente e passa muito tempo no local de trabalho, esta poderá ser a única forma de manter acesa uma relação.

 

- Partilharem o mesmo projecto de trabalho poderá transformar-se num acto de cumplicidade. 

 

- Pense ecologicamente: se o seu parceiro amoroso(a) trabalha na mesma empresa podem partilhar a mesma viatura e a chatice do estacionamento não é a duplicar. Poupa no final do mês e o ambiente agradece.

 

Até aqui deve estar a pensar que ter uma relação amorosa com um colega de trabalho pode até nem ser uma má ideia. Contudo, nem tudo são rosas e os espinhos são fáceis de encontrar quando se passa todo o dia de trabalho e as horas de lazer, com o seu parceiro amoroso. Os riscos para o seu posto de trabalho e para a sua vida pessoal existem e eles são...

 

- Corre o risco de levar os problemas da vida a dois para o seu local de trabalho, assim como de levar trabalho para dentro do seu lar. 

 

- Ao formarem um casal, os colegas de trabalho tendem a vê-los como uma unidade. Logo os problemas, inimizades e contrariedades laborais de um, podem passar a ser dos dois.

 

- As relações de hierarquia são já por si difíceis de ministrar. Se a pessoa por quem se apaixonou no emprego e com quem quer fazer uma vida a dois é seu chefe, o melhor mesmo é pensar duas vezes. Vai passar a receber ordens do seu parceiro amoroso. Além disso, imagine que a empresa passa por uma situação financeira complicada e que serão necessários cortes no pessoal e que o seu chefe tem de o despedir?

 

- Para a maioria das chefias, as relações no local de trabalho não são bem vistas. Alegam que os trabalhadores podem andar mais distraídos, menos produtivos, por partilharem o mesmo espaço com o parceiro amoroso. Esta situação pode levar a conflitos com colegas e chefias, pelas piadas que sempre existem e criar mau ambiente de trabalho.

 

Maribela Freitas e Marisa Antunes



Visite aqui o expressoemprego.pt