Siga-nos

Perfil

Expresso

Ela é carioca

Os tomates a quem os sabe cultivar

O tomate é o fruto do tomateiro (Solanum lycopersicum), embora impropriamente considerado como legume pelos leigos. De sua família, fazem também parte as batatas, as beringelas, as pimentas e os pimentões. Originário da América Central, e do Sul, era amplamente cultivado e consumido pelos povos pré-colombianos, sendo actualmente cultivado e consumido em todo o mundo.

A citação recupera a explicação da Wikipédia e visa servir de introdução para o debate que segue. Será que em causa está um problema de identificação? De não saberem se falamos de frutos ou de legumes? De batatas ou beringelas? Não, eu quero mesmo falar de tomates. E de quem os cultiva.

Tudo porque esta semana estive, a trabalho, em Berlim. Visitei o Reichstag, o parlamento do império alemão. Ao visitar a casa, lembrei-me da dona. Angela Merkel, porque não nutria qualquer simpatia especial. Andava ela por África, quando lhe visitei a casa. Lembrei-me da sua recente atitude de receber o Dalai Lama. Nós, por aqui, nada. Não encontrámos "oportunidade" para receber o Prémio Nobel.

Lembrei-me também da sua atitude, quando Presidente da Comissão Europeia em exercício, discutiu com Putin o assassínio da jornalista Politkovskaya. E não só. Por aqui, quando o czar passar por Lisboa no fim deste mês, duvido que José Sócrates se debruce sobre o tema. Ou sobre a arrogância energética da Mãe Rússia perante a Comunidade. Duvido.

Angela cultiva tomateiros. Sócrates, dizem, é o líder de um governo forte (???), mas acho que não é adepto desta cultura agrícola. Quem os cultiva, de certeza e com cuidados quotidianos, é também a Sandra, a mãe do Filipe. Eu a conheci nas páginas do "Público" do último domingo (7 de Outubro).

Vivia no Algarve, com o marido e o filho mais velho, mas rumou a Lisboa e ao Hospital D. Estefânia para acompanhar a evolução do seu bebé. "O rapazinho de ano e meio, gorducho e bem disposto, de sonda no nariz" que "se mantém direito durante uns segundos, mas a cabeça acaba por cair", explica a reportagem da Bárbara Wong. Sandra não tem qualquer certeza quanto ao futuro do filho, mas segue adiante. Firme e flexível, como é preciso para quem quer sobreviver.

Podem dizer que estou a ser parcial, ao falar de mulheres e tomates, mas a verdade é que é nas grandes decisões (sobre o futuro de um país ou dos nossos filhos) que se vêem os grandes agricultores. Dizem que o povo é sábio. Eu tenho muitas dúvidas. Não gosto de frases feitas nem de verdades pré-concebidas. Estes são só dois exemplos que nos fazem pensar. Em tomates e em quem os sabe cultivar.

Christiana, jornalista