Siga-nos

Perfil

Expresso

Ela é carioca

Já sentiram gosto de pneu queimado?

Despareci, é verdade, e pelos piores motivos. Vou vos contar um segredo íntimo: há mais de uma semana que ando com um gosto de pneu queimado na boca. Não foi nenhum acidente de automóvel, fruto de uma licença recém adquirida. É, isso sim, consequência de uma gripe dessas que andam por aí derrubando as pessoas.

  Lá em casa, caímos eu e a F. Caímos, não, despencámos em meio a tosse, espirros e uma péssima disposição. Eu, de oferta, levei este gosto de pneu na boca.

  Este é, sem dúvida, um dos problemas dos imigrantes sub-equatorianos quando rumam ao Norte, ao contrário das aves migratórias. Estamos no pior dos mundos. Todos os anos, por esta altura, dou por mim deprimida. Há muito tempo que não sei o que ter o calor do sol sobre a pele e sei que ainda falta muito para voltar a sentir este calor. Não falo de um solzinho envergonhado, mas de calor a sério. 

   É nestas épocas do ano que me lembro de mim a maldizer o calor húmido do Rio de Janeiro, que se fazia escorrer em gotas grossas pelas costas. Que saudade! Como sou muito sensitiva, o calor do sol vem associado aos sabores do Verão, com destaque para a água de coco gelada. Depois de sorvido o líquido, o vendedor, a meu pedido, agarrava do seu enorme facão e abria o fruto ao meio para que, com uma lasca da casca, pudesse saborear a alva e fresca polpa do fruto.

   A memória é um labirinto e o coco fresco remete para a cocada doce. Nem todos os portugueses apreciam o sabor untuoso e demasiado doce destas lascas de coco e açúcar em excesso. Na minha juventude inventaram uma modalidade urbana de cocada com doce de leite. Puro deleite. Ficou no passado, mas anula no presente o frio gosto de pneu queimado que trago na boca. Hoje falo de açúcar porque até ao fim da semana, vou falar de temas menos serenos.



    Aqui fica uma receita tardicional da Dona Benta:



750 g de açúcar cristal, 2 chicaras de chá de água, 1 de fava de baunilha, 1 coco ralado

Com o açúcar, a água e a fava de baunilha faça uma calda em ponto de quebrar. Misture à calda o coco ralado e mexa até esfriar. Faça montinhos de cocada numa assedeira e leve a secar ao sol.

     E outra, mais moderna, de uma amiga:



1 lata de leite condensado, 1 lata de açúcar refinado (faltando dois dedos para encher),1 coco ralado, 1 colher de manteiga sem sal

Misturar tudo e levar ao fogo mexendo sempre com colher de pau até dar ponto. Somente estará no ponto quando a mistura se desgrudar do fundo e das laterais da panela. Despejar no mármore untado, espere esfriar e corte em losango ou em quadrinhos.



   Christiana, jornalista