Siga-nos

Perfil

Expresso

Ela é carioca

De volta à economia... e não só

Pois é, andei desaparecida. Temos de respeitar os nossos ritmos. Desapareci porque não sabia o que vos dizer. Algumas coisas que cá andavam dentro eram íntimas demais. O resto, não parecia suficientemente relevante para me motivar. Às vezes mais vale calar.

Agora, de volta, vejo que muita coisa mudou! Já repararam a quantidade de novos blogues na página de abertura? Saúdo os novos colegas e, perdoem-me a escolha, mas saúdo, sobretudo, as colegas que escrevem sobre o mercado de trabalho. São novas mulheres a se dedicarem ao espaço dos blogues do Expresso. Bem-vindas.

Feitos os comentários introdutórios, vamos ao que nos pode interessar. "Back to basics". Este espaço deveria dedicar-se a contar as aventuras de uma mulher, brasileira no difícil campo do jornalismo económico em Portugal. A economia lusa não está a ser suficientemente sedutora neste momento e, como não vos quero preocupar, vou buscar como tema de conversa um "post" colocado hoje na página diária da "Columbia Journalism Review" (<www.cjrdaily.org/the_audit/and_now_back_to_the_economy.php>).

Sob o título "Back to the economy", Félix Gillette explica que, passada a tempestade eleitoral norte-americana, permanecem as preocupações com a guerra do Iraque. Mas, mais importante é que, tanto quanto um debate honesto e apolítico sobre a questão iraquiana, os americanos precisam "desesperadamente" de abordar da mesma forma desapaixonada a questão económica.

Segundo o articulista, a fotografia é confusa: a produtividade está em alta e o desemprego em baixa. Mas os lucros das empresas não registam grandes ganhos. Numa altura destas, o papel dos jornalistas volta a ser sublinhado. Para descascar temas fundamentais como, por exemplo, a política fiscal e as reais consequências da intervenção do poder político na vida dos cidadãos. Por aqui também dava jeito.

PS: E porque, como eu defendo veementemente, quando falamos de economia, falamos sempre das nossas vidas concretas, deixo aqui uma nota mais pessoal. Nestes dias mais pesados, fui buscar uma autora provavelmente desconhecida por aqui: Elsie Lessa. Já faleceu, mas durante muitos anos fui sua leitora nas páginas do carioca "O Globo".

Em um livro chamado "Ponte Rio-Londres", editado pela Record em 1984, encontro uma crónica incómoda. "Um pequenino grão de areia..." nos mostra como de onde menos se espera aparece um pedaço do passado. Cai de um livro, sem mais nem menos, e nos empurra a toda velocidade para uma praia inacessível, em pleno Inverno.

Mal eu sabia, então, que também eu ficaria um dia dividida entre uma ponte Rio-Lisboa.

Eu que também fui empurrada para a minha praia. Sempre deu para aquecer um bocadinho.

Christiana, jornalista