Siga-nos

Perfil

Expresso

A Tempo e a Desmodo

O problema é europeu, e não alemão

A retórica anti-germânica que por aí anda serve para esconder a realidade. Nós temos de facto um problema, e não é mascarando-o de alemão que nos vemos livres dele.

Henrique Raposo (www.expresso.pt)

I. João Marques de Almeida resumiu ontem a questão: temos vários problemas nacionais, com diferentes graus. O que não temos é um problema alemão. É o conjunto desses problemas nacionais, "português", "grego", "irlandês", "espanhol", que constitui o problema europeu. Não é a Alemanha que tem as contas públicas em desordem.

II. Muita gente tem apontado armas à disciplina exigida pelas regras do euro. O Estado social e o investimento público são a negação desses coletes-de-forças para a despesa, e esta crise deu oportunidade a essas vozes. Do lado francês, encontramos muitas dessas vozes, na defesa desesperada de níveis de despesa altíssimos, contra os avarentos da Europa do norte, simbolizada na Alemanha. São dois modelos em crise, sendo que o modelo de poupança e contenção foi o que ficou consagrado nos Tratados, agora rasgados por governos em espiral despesista.