Siga-nos

Perfil

Expresso

A Tempo e a Desmodo

José Sócrates já dá peninha

É confrangedor: o primeiro-ministro é simplesmente incapaz de enfrentar a realidade. José Sócrates, qual 'menino mimado', recusa sair da sua ficção, e diz que a culpa é dos 'meninos maus' (os especuladores).

Henrique Raposo (www.expresso.pt)

I. O "Público" de ontem disse tudo: José Sócrates está orgulhosamente só na defesa das obras públicas. A insegurança de José Sócrates está a enterrar o país. Toda aquela bravura, toda aquela bravata esconde uma insegurança atroz. E poucas coisas são mais perigosas do que um primeiro-ministro inseguro, que, só por teimosa insegurança, é incapaz de reconhecer os erros.

II. Esta fragilidade do primeiro-ministro chega a dar pena: a Bastilha está a arder, mas ele continua a cantar e dançar. Às vezes, começo a pensar: "mas este senhor está a gozar connosco?"; "em que realidade é que ele vive?". Sócrates é um ser frágil, que não aceita um milímetro de realidade, não aceita que os factos destruam a sua fantasia assente em mega-obras megalómanas e perigosas.

III. Sócrates não é o nosso maior problema. A queda de Sócrates não resolverá, per se, os nossos problemas. Mas o discurso ficcionado deste primeiro-ministro é um manto falacioso que encobre a realidade. Esse manto tem de ser destruído. O menino tem de ser confrontado com a realidade.