Siga-nos

Perfil

Expresso

A Tempo e a Desmodo

A esquerda nacionalista

O nacionalismo está a voltar à esquerda. Por essa Europa fora, a pulsão soberanista está a ganhar espaço nas elites "progressistas". Vai haver muitos "Le Pen" de esquerda.

Henrique Raposo (www.expresso.pt)

I. Um espectro ameaça a Europa: o nacionalismo de esquerda. A retórica anti-euro e mesmo anti-UE está a crescer nas esquerdas europeias. Em Portugal, por exemplo, não falta muito para que os partidos da esquerda (mesmo o PS) comecem a pedir a retirada de Portugal do euro. Em desespero de causa, a esquerda vai querer manter o status quo (Estado Social intocável, etc.) através da desvalorização do escudo. Isso representaria uma fuga desesperada para a frente. Isso representaria um ataque ao mensageiro do mal. O mal ficaria no mesmo sítio.

II. O nacionalismo começou por ser uma invenção de esquerda. O "nacionalismo" era a resposta da esquerda do século XIX contra a Europa aristocrata e imperial. Depois, no século XX, o nacionalismo passou para a direita, e ainda hoje o termo "nacionalismo" é anexado, de imediato, ao termo "direita". Mas as coisas estão a mudar. A esquerda vai recuperar o nacionalismo contra o - suposto - "imperalismo" de Bruxelas. Nas mentes virtuosas dos progressistas, a UE é a nova "aristocracia" que oprime as "nações". Cuidado com estes "Le Pen" de esquerda.