Siga-nos

Perfil

Expresso

A internet enquanto negação do liberal

A ideologia libertária, dominante desde a queda do muro, impôs uma sociedade onde a tecnologia internética tinha carta branca, onde Facebook e Amazon podiam mudar a sociedade e até as noções de certo e errado através da mera força do mercado, uma força considerada inevitável e imparável como um nevão no inverno. Assumiu-se que qualquer interferência da comunidade política nesta tecnologia e neste mercado era em si mesmo um mal socialista inaceitável, algo contranatura. Se o mercado é o fluir natural, então qualquer interferência só pode ser um dique torpe. Deste equívoco anarco-capitalista ou libertário nasceu a incompreensível divinização de homens como Jobs, Zuckerberg ou Musk. Desde equívoco nasceu uma sociedade e uma internet que nenhum liberal clássico pode apoiar.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido