Siga-nos

Perfil

Expresso

Devemos banir geneticamente os surdos?

Em 2002, um casal de lésbicas surdas decidiu ter um filho igualmente surdo. Candace McCullough e Sharon Duchesneau procuraram assim um dador de esperma surdo. Não viam elas na surdez uma debilidade? Não. A surdez era, para elas, uma marca identitária como a orientação sexual. O filho, surdo, nasceu alguns anos depois.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)