Siga-nos

Perfil

Expresso

Fundos de investimento

O contágio Madoff a Portugal

O contágio Madoff a Portugal

Há 11 milhões de euros nas carteiras dos fundos de investimento portugueses expostos à gestora do ex-presidente da bolsa Nasdaq

Nuno Alexandre Silva

Depois do Santander Totta e Banco Espírito Santo terem revelado exposições indirectas de 16 e 15 milhões de euros à sociedade gestora de Bernard Madoff , é a vez da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) desvendar até onde podem ir as perdas potenciais dos fundos de investimento portugueses. Ao todo, as carteiras dos fundos nacionais têm 11 milhões de euros (0,07 por cento do valor total em gestão) investidos em activos na Bernard L. Madoff Investment Securities, uma parcela da exposição total portuguesa que passa ainda por 65 milhões de euros em carteiras individuais.

O apuramento dos 76 milhões de euros em risco pela CMVM decorre das más notícias que chegaram mais uma vez de Wall Street. As autoridades norte-americanas descobriram um alegado esquema fradulento piramidal que já fez muitas das maiores instituições financeiras virem anunciar elevados montantes expostos aos activos da empresa do antigo presidente da bolsa electrónica Nasdaq.

No entanto, o número a que a autoridade de supervisão dos mercados ainda não pode ser considerado definitivo, dada a "dificuldade na obtenção da identificação de todos os activos detidos ou geridos pela sociedade em causa". O supervisor português adianta ainda que "as sociedades gestoras dos fundos e das carteiras individuais deverão, respectivamente, propor ou adoptar, procedimentos de revalorização dos activos expostos ao risco".