Siga-nos

Perfil

Expresso

Fundos de investimento

Morgan Stanley recomenda investir em acções russas

Além da substituição da China pela Rússia como o mercado emergente com melhores perspectivas, o banco de investimento recomenda a compra de activos com maior volatilidade.

Luis Caleira Marques (www.expresso.pt)

A primeira alteração efectuada desde Junho de 2009 por Jonathan Garner, responsável pelos mercados asiáticos e emergentes da Morgan Stanley, resultou num aumento da exposição ao mercado accionista russo e uma retracção do mercado chinês, o preferido desde então, mas não só. Garner aconselha também a diminuir os níveis de liquidez e a aumentar a exposição aos mercados accionistas de países considerados emergentes devido às perspectivas de "um ano forte" para a economia mundial.

"Actualmente, estamos a focar-nos agressivamente no beta", indicou Garner. O beta de uma acção é uma medida estatística que indica qual a variação que o preço do título regista caso se verifique uma variação de 1% no mercado (índice). Um beta superior a 1 indica que a acção vai variar mais que o mercado e um beta inferior a 1 indica que a acção irá variar menos que o mercado. Caso o beta seja igual a 1 a acção irá acompanhar a variação do mercado.

Entre os mercados do grupo de países emergentes chamados BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), o russo lidera actualmente o ranking relativo ao crescimento dos lucros e está em segundo lugar em duas medidas de avaliação dos modelos do Morgan Stanley. O estado actual da sua economia é descrito como "em ponto doce" com perspectivas de que o crescimento irá acelerar no último trimestre do ano, enquanto a expansão económica no Brasil, Índia e China deverá abrandar, de acordo com o banco de investimento.

Governo aconselha prudência

Para os políticos russos investir em acções daquele país é arriscado. O vice-Primeiro Ministro russo Igor Shuvalov avisou os investidores que o maior exportador mundial de energia irá tentar prevenir o sobreaquecimento da economia e encorajar o investimento no longo prazo. "Eu teria bastante cautela com investimentos em acções neste país", afirmou Shuvalov numa entrevista realizada a 16 de Junho para a Bloomberg Television, em Moscovo, onde indicou que a Rússia "gostaria de receber investidores que construíssem fábricas, algo novo neste país".

A modernização da Rússia necessita de tempo, paciência e de investimentos de longo prazo, de acordo com Shuvalov. As taxas ideais de crescimento não deverão exceder os 5% nos próximos anos, dado que o governo pretende controlar os seus gastos e não há previsões que se deixe o rublo variar livremente, para evitar prejudicar os produtores internos.

Em 2010, o índice russo Micex acumula uma variação negativa de 1%, enquanto os dois principais índices chineses, o Shanghai Composite e o MSCI China, registam perdas de 22% e 6,4%, respectivamente. O índice MSCI Emerging Markets, que serve de referência para os mercados accionistas dos países emergentes, acumula uma perda de 4,2% depois de ter valorizado 75% em 2009.

 

Rússia tem sido lucrativa para os investidores

Fonte Bloomberg. Rendibilidades anualizadas em euros líquidas de impostos. n.a. - Não aplicável. Fundo com menos de 3 anos.