Siga-nos

Perfil

Expresso

Arquivo

CDS não vota em Fernando Nobre

Paulo Portas e Passos Coelho não chegaram a acordo sobre presidência do Parlamento. CDS tira o tapete ao fundador da AMI - a sua eleição é quase impossível. Clique para visitar o especial Portugal 2011

Filipe Santos Costa (www.expresso.pt)

O CDS não quer Fernando Nobre a presidir à Assembleia da República e a orientação é clara: os deputados centristas não vão votar a favor do nome proposto por Passos Coelho.

Clique para aceder ao índice do especial Portugal 2011

"Se ele for a votos, não tem os votos do CDS", assume um dirigente do partido, assinalando o óbvio: "Se esta questão ficou fora do acordo com o PSD, foi para preservar a liberdade do CDS".

Foi o próprio líder do CDS quem anunciou, esta manhã, à saída de Belém, que "a questão da presidência da Assembleia da República não fará parte do acordo entre os dois partidos."

Paulo Portas lembrou os "compromissos anteriores" do CDS, assumindo que "cada partido agirá de acordo com a sua palavra". Ou seja: Passos Coelho manterá a sua, para apresentar o nome de Fernando Nobre, e o CDS manterá a oposição a esta hipótese. Por considerar que o médico da AMI não tem o perfil certo para presidir ao Parlamento.

Essa "não é matéria essencial para a governação do país", desdramatizou Paulo Portas, depois da audiência com o Presidente da República. Portas confirmou, por outro lado, que já há acordo sobre a coligação e sobre o programa de governo. 

PS pode apoiar?

Com o CDS de fora, restam a Fernando Nobre os votos que consiga recolher no PSD - e é certo que não terá o apoio de todos os 107 ou 108 deputados do partido (ainda está por saber quantos lugares o PSD consegue pela emigração).

A hipótese de Fernando Nobre presidir à Assembleia da República desagrada a boa parte da bancada social-democrata. Tudo somado, a eleição do líder da AMI é, neste momento, bastante improvável.

No entanto há outra hipótese: entre alguns deputados do PS cresce a convicção de que pode ser politicamente vantajoso ajudar a eleger Fernando  Nobre. O raciocínio é simples: se o CDS e muitos deputados do PSD temem que Nobre seja um embaraço para o Governo caso chegue à presidência do Parlamento, isso pode ser uma boa notícia para a oposição...