Siga-nos

Perfil

Expresso

Pela estrada fora com o CDS-PP

Alfaiate de Paulo Portas entrou na campanha

Augusto Saldanha (à direita) não tem falsas modéstias quando o assunto são os fatos do seu cliente mais famoso

Tiago Miranda

O discretíssimo senhor Saldanha andou numa arruada ao lado de Paulo Portas. E é apontado pelo líder do CDS como "um alfaiate extraordinário". Saiba porquê. Clique para visitar o especial Portugal 2011

Filipe Santos Costa e Tiago Miranda, na estrada com o CDS (www.expresso.pt)

As perguntas sucedem-se no Facebook de Paulo Portas: "Porque é que o CDS defende as PME?", "Privatizaria a Caixa Geral de Depósitos?", "Qual o modelo de Governo para Portugal?", "O que é que distingue o CDS do PS e do PSD?", "Onde é que compra os seus fatos?".

Clique para aceder ao índice do especial Portugal 2011

Isso mesmo - os fatos de Paulo Portas são um dos temas candentes escolhidos pelo CDS para um dos vídeos que o líder centrista colocou na sua página na rede social. Os vídeos são as respostas de Paulo Portas a algumas das perguntas que mais lhe fazem, e os fatos são um dos assuntos que não podiam faltar.

Já toda a gente reparou, e muita gente comentou, os fatos de Portas. O que pouca gente se deu conta é que o alfaiate de Paulo Portas não só é um tema da campanha virtual no Facebook, como fez campanha, nada virtual, ao lado do líder do CDS. Foi na semana passada, na arruada de Paulo Portas na Rua de Santa Catarina, no Porto.

Alfaiate já é parte da família

Augusto Saldanha, "costureiro", com ateliê na Rua Trindade Coelho, no Porto, conforme se lê no seu business card, é uma figura que todos no círculo próximo de Paulo Portas conhecem.

É o "senhor Saldanha", com direito a fotos (ao lado de Paulo Portas) na parede da sede nacional do CDS e tudo. Ao longo dos dez anos que leva como alfaiate do presidente do CDS, tornou-se parte da família.

Depois de um abraço a Paulo Portas, na Praça D. João I, mantém a discrição conforme segue na cauda da arruada, Rua de Santa Catarina acima, de bandeira do CDS ao ombro. Mas Augusto Saldanha não tem falsas modéstias quando o assunto são os fatos do seu cliente mais famoso.

Lá mais à frente, no centro das atenções da arruada, está um blazer azul feito por si. Não é dos que mais se orgulha - uma cópia de um blazer antigo que Paulo Portas adorava e julgava que lhe dava sorte - mas, para o olho de leigo, é de uma elegância invejável, com um vistoso forro encarnado que de vez em quando se consegue vislumbrar.

Imagem mudada

No ateliê está um fato novo, azul claro, que Augusto Saldanha deixou pronto para entregar a Paulo Portas. "Eu mudei a imagem do dr. Paulo Portas. Antes, ele não ligava nada, usava qualquer fato, até fatos de pronto-a-vestir", conta o senhor Saldanha.

Esses dias acabaram quando Paulo Portas, recém-nomeado ministro da Defesa, foi apresentado ao costureiro portuense por Manuel Brandão, seu colaborador no ministério. O presidente do CDS nunca mais quis outra coisa. "Ele confia em mim. Eu e os meus fatos fazemos parte da vida dele", resume o alfaiate com um sorriso.

Tem razões para isso. O homem que pode estar à beira de chegar a ministro dos Negócios Estrangeiros não só o considera "um alfaiate extraordinário", como "um português com visão", que sabe "sabe avaliar tecidos e ver tendências".

Os tecidos são quase sempre ingleses, os botões são exclusivíssimos (os que mais gosta têm a inscrição latina Carpe Diem - aproveita o dia). E tem "uma coisa que o define: uns forros fantásticos, com uma cores verdadeiramente estranhas".