Siga-nos

Perfil

Expresso

Lusofonia

Thabo Mbeki condena violência xenófoba

Resposta oficial da África do Sul à violência contra estrangeiros ocorrida em Joanesburgo.

"Os cidadãos de outros países do continente africano e fora dele são tão humanos como nós e merecem ser tratados com respeito e dignidade", assim começa o comunicado à imprensa do Presidente da África do Sul hoje distribuído a propósito dos actos de violência levados a cabo contra estrangeiros no passado fim de semana, em Joanesburgo.

"Apelo a todos os que estão por detrás destes actos vergonhosos e criminosos para parar! Nada os pode justificar" continua o texto que frisa a ligação da África do Sul aos outros africanos "pela história, cultura, economia e, acima de tudo, pelo destino".

Thabo Mbeki aproveita para agradecer a todos "os membros do público" e aos "líderes políticos e comunitários" que apelaram ao cessar imediato dos ataques a estrangeiros e promete que tudo será feito "para forçar os criminosos a cumprir a lei". Até agora já foram presos mais de 200 alegados criminosos e o Presidente sul-africano, ao sublinhar que a transição do seu país foi um dos "testemunhos mais exemplares em todo o mundo de tolerância e coexistência pacífica", condena os "repulsivos ataques xenófobos a estrangeiros" perpetrados através de actos de "intensa violência e desumanidade".

O documento hoje distribuído pela Embaixada da África do Sul assume a violência de Joanesburgo como "uma ameaça aos nossos feitos históricos como nação" e lembra "a hospitalidade que foi concedida aos sul-africanos que se exilaram nos países vizinhos" e no resto do continente durante o período do "apartheid": "O apoio dos Estados da linha da frente da África Austral e de todo o continente africano foi decisivo para a conquista da democracia que hoje temos e desfrutamos", termina.