Siga-nos

Perfil

Expresso

Lusofonia

Maputo em alerta

Mais de 500 de pessoas ficaram feridas, na sequência da explosão do paiol militar localizado no bairro Mahlazine, em Maputo. Três militares morreram.

Violentas explosões no paiol militar do bairro de Mahlazine abalaram a capital moçambicana ao início da tarde. Já se registaram três vítimas mortais e centenas de feridos com queimaduras graves.

As deflagrações foram sentidas num raio superior a dez quilómetros, tendo feito estremecer o chão e partido vidros em diversos prédios no centro da capital moçambicana, nomeadamente na Avenida 24 de Julho e na Avenida Eduardo Mondlane.

Joaquim Mataruca, porta-voz do Ministério da Defesa moçambicano, disse ao Expresso que as explosões terão sido causadas por um curto-circuito ocorrido no depósito de armamento.

No decorrer das explosões, várias zonas foram interditas e o Aeroporto de Maputo está encerrado desde as 16 horas locais (18 horas em Portugal). Esta foi mais uma medida do Ministério da Defesa que, segundo Mataruca, não vai ser alterada até a situação estar normalizada.

O Presidente da República, Armando Emílio Guebuza, apelou à população através da televisão para que mantenha a calma e a serenidade. Guebuza cancelou a sua viagem à África do Sul.