Siga-nos

Perfil

Expresso

Lusofonia

Duas italianas assassinadas em Cabo Verde

Um crime brutal manchou a reputação pacífica de Cabo Verde. As autoridades acreditam que foram questões passionais que levaram três homens a assassinar duas jovens italianas.

O assassinato aconteceu na noite de quinta para sexta-feira em Fontona (zona balnear pouco frequentada) e foi cometido por três homens. O principal suspeito é Sandro, antigo namorado de uma das vítimas e guia turístico local.

Os corpos das duas italianas foram encontrados logo na sexta-feira porque uma terceira jovem que estava com o grupo, apesar de ferida na cabeça, fingiu estar morta para conseguir fugir e avisar a polícia. Entretanto,as autoridades cabo-verdianas informaram as famílias das jovens e a trasladação para Itália deve acontecer nos próximos dias.

As duas vítimas mortais e a rapariga que ficou ferida faziam parte de um grupo de surfistas italianos, que chegaram à ilha do Sal no domingo passado e que deviam regressar este domingo a Itália. O cônsul italiano em Cabo-verde, Luigi Zirpoli, confirmou que os jovens já eram presença habitual na ilha, onde tinham estado em anos anteriores para fazer surf e windsurf. Terá sido numa destas viagens que uma das jovens se envolveu com o presumível autor do crime. E se no início se pensou poder tratar de um rapto, Zirpoli afasta peremptoriamente essa hipótese, “Tratou-se de um crime passional, disso não há dúvidas”, mas não adianta que motivos poderão ter levado a esse crime.

Fingir-se de morta salvou-lhe a vida

As suspeitas de rapto caíram por terra quando a única sobrevivente dos assassinatos avisou a polícia e os amigos do sucedido. A jovem, menor de idade, fingiu-se de morta e aproveitou uma distracção dos criminosos para fugir. Quando voltou ao lugar do crime com as autoridades, os corpos das amigas já estavam enterrados.

A rapariga foi internada no hospital em estado de choque e com ferimentos na cabeça, tendo sido suturada com 18 pontos. Apesar de estar fora de perigo, vai continuar internada para observação.

A polícia confirmou que o presumível autor do crime se entregou e está detido, assim como os dois cúmplices que o ajudaram, todos cabo-verdianos. Yscar Tavares, director da Polícia Judiciária de Cabo Verde, confirmou em declarações feitas à Lusa que os três homens poderão ser ouvidos ainda hoje em tribunal.

Entretanto, uma equipa forense italiana está a caminho do arquipélago cabo-verdiano, para realizarem investigações que possam recosntituir ao certo o crime que resultou na morte das duas jovens.