Siga-nos

Perfil

Expresso

Lusofonia

Cinco dias, cinco notícias

Notícias que marcaram a semana de 12 de Fevereiro a 16 de Fevereiro na Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique e Cabo Verde. 

Segunda-feira 12 de Fevereiro

Guiné-Bissau: Estudantes guineenses na Rússia sem bolsa há dois anos

Cada estudante devia receber do governo de Bissau cerca de 50 euros mensais, mas a última vez que o receberam foi há dois anos, depois de terem ocupado a embaixada da Guiné-Bissau em Moscovo e terem feito o embaixador refém. Hoje a situação é insuportável e os 53 guineenses que estão na Rússia lançaram um apelo desesperado "nós não queremos aumento da bolsa, embora ela seja miserável, mas apenas que nos seja paga". No final do passado ano lectivo foram informados que iriam receber as prestações em atraso, mas tudo não passou de uma mentira. Por outro lado, os alunos que terminam os cursos são obrigados a regressar sem diplomas, pois o governo deve grandes quantias de dinheiro a institutos e universidades russas.

Terça-feira 13 de Fevereiro

São Tomé e Príncipe: Estomatologistas de Taiwan promovem cuidados de saúde dentária

Vai decorrer em São Tomé e Príncipe até 16 de Fevereiro uma campanha de tratamento/assistência gratuito, promovido pelo Rotary Club de Taiwan, que conta com uma equipa de 12 pessoas, entre médicos e assistentes e que irão desenvolver trabalhos voluntários no âmbito da estomatologia. O objectivo dos voluntários é darem assistência a mais de 1000 pessoas no espaço de seis dias, percorrendo todos os distritos do país. Taiwan entretanto já garantiu ir criar um centro dentário em São Tomé.

Quarta-feira 14 de Fevereiro

Angola: Emigrante angolano em Inglaterra condenado por homicídio

Roberto Malasi de 18 anos foi condenado por um tribunal londrino a duas penas de prisão perpétuas, pelo homicídio de duas mulheres, em 2005. As duas mortes tiveram um intervalo de 15 dias entre elas e no primeiro homicídio que foi seguido de roubo, o angolano teve a ajuda de três amigos, todos nigerianos, condenados a penas de oito anos num reformatório juvenil, por serem menores de idade. Malasi teve como atenuantes, a vida de maus-tratos, abandonos e privações a que foi sujeito pelo pai, o juiz, contudo, não se comoveu e condenou-o a uma pena que o obriga a passar nunca menos de 30 anos encarcerado.

Quinta-feira 15 de Fevereiro

Moçambique: Director da Polícia de Investigação Criminal foi exonerado

José Pacheco, ministro do Interior de Moçambique, procedeu a uma reestruturação transversal a quase todas as chefias dos departamentos sob a sua alçada. Este conjunto de decisões tiveram como base a exoneração de Flávio Menete, director nacional da Polícia de Investigação Criminal, nomeado pelo anterior ministro do interior, Almerino Manhenje, e cujo gabinete é suspeito de ter lesado a instituição em 250 mil euros, segundo uma auditoria interna. O ministro justifica estas mudanças com o facto de todos os cargos de direcção e chefia serem exercidos por funcionários que demonstraram responsabilidade e dedicação ao trabalho.

Sexta-feira 16 de Fevereiro

Cabo Verde: “Escala humanitária” na cidade da Praia

O governo da Praia acedeu em receber 35 imigrantes clandestinos originários da Guiné-Conacri. Estas pessoas faziam parte de um grupo de 400 encontradas num barco à deriva, ao largo da Mauritânia, que acabou por ser rebocado por um navio da marinha espanhola. A situação de conflito na Guiné-Conacri impossibilitou a repatriação imediata destas pessoas e depois de um pedido de Madrid, as autoridades cabo-verdianas acederam em recebê-las "excepcionalmente e por razões humanitárias". Os 35 guineenses, entretanto acomodados numa esquadra de polícia, aguardam "o encaminhamento para o seu país de origem nas próximas horas", segundo referiu fonte do governo de Cabo Verde.