Siga-nos

Perfil

Expresso

Lusofonia

Cinco dias, cinco notícias

Notícias que marcaram a semana de 29 de Janeiro a 2 de Fevereiro em São Tomé e Príncipe, Cabo-Verde, Moçambique, Guiné-Bissau e Timor-Leste.

Segunda-feira, 29 de Janeiro

São Tomé e Príncipe: O MLSTP/PSD elege em Fevereiro o seu próximo líder

O Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe/Partido Social-democrata, que esteve no poder de 1975 a 2006, elegerá a sua próxima direcção num Congresso Extraordinário agendado para 24 de Fevereiro. Os nomes mais falados para sucederem a Gulherme Posser são: o ex-ministro Joaquim Rafael Branco ou o economista António Quintas Aguiar. O histórico Manuel Pinto da Costa já negou qualquer candidatura.

 

Terça-feira, 30 de Janeiro

Cabo-Verde: Governo prepara-se para a luta anti-terrorista.

O combate ao terrorismo esteve na ordem do dia durante o seminário que teve lugar na cidade da Praia. Orientado por especialistas do Comité das Nações Unidas Contra Drogas e Crime (ONUDC), o objectivo fundamental foi dotar o país com mais e melhores infra-estruturas contra esta ameaça global. Cabo-Verde ainda não possui uma legislação anti-terrorismo, que esteja em plena consonância com o preconizado pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas. Alterações que deverão ser feitas com alguma urgência, de modo a que fique definida a perspectiva jurídico-legal cabo-verdiana quanto ao terrorismo global.

 

Quarta-feira, 31 de Janeiro

Moçambique: China vai perdoar 12 milhões de euros de dívida externa

Durante a visita oficial ao país, a decorrer nos próximos dias 8 e 9 de Fevereiro, o Presidente chinês, Hu Jintao, anunciará o perdão da dívida do Estado moçambicano, avaliada em 12 milhões de euros. Outras das medidas de auxílio ao povo moçambicano poderão passar por novos planos de ajuda ou acordos de cooperação económica e comercial. Certa está a inauguração do Centro Especial de Demonstração de Tecnologia Agrícola.

 

Quinta-feira, 01 de Fevereiro

Guiné-Bissau: Autoridades reconhecem a prática de abortos clandestinos

Apesar de ser ilegal, a Interrupção Voluntária da Gravidez (IVG) é praticada em casas e clínicas privadas. Plácido Cardoso, director-geral da Saúde Pública da Guiné-Bissau, admite que este flagelo leva muitas mulheres às urgências dos hospitais públicos, com infecções que por vezes as conduzem à morte. A IVG foi permitida até finais dos anos 90, mediante autorização escrita do companheiro da mulher grávida.

 

Sexta-feira, 02 de Fevereiro

Timor-Leste: Xanana Gusmão agenda eleições presidenciais para 9 de Abril

Será na segunda-feira a seguir ao fim-de-semana da Páscoa que os timorenses escolherão o seu próximo Presidente. A primeira volta está agendada para 9 de Abril e o Presidente da República tomará posse até 20 de Maio. Ramos Horta já disse que poderá ser um candidato ?in-extremis? e Xanana não se recanditará. As eleições legislativas poderão ser marcadas para os 80 dias seguintes ao escrutínio presidencial. Possibilidade prontamente negada pela Fretilin, que não aceitará um Presidente da República empossado por um Parlamento cessante.