Siga-nos

Perfil

Expresso

Lusofonia

Bemba preso em Bruxelas

Bemba, ex-vice presidente do Congo, que esteve refugiado em Portugal foi preso em Bruxelas por crimes de guerra cometidos na República Centro Africana.

O ex-vice-presidente da República Democrática do Congo e até sexta-feira residente em Portugal, foi detido no sábado em Bruxelas, a pedido do Tribunal Penal Internacional, acusado de crimes de guerra cometidos na República Centro-Africana, anunciou fonte judicial.

Bemba, de 45 anos, líder do partido oposicionista Movimento de Libertação do Congo (MLC) e derrotado nas eleições presidenciais de 2006, é acusado de quatro crimes de guerra e dois crimes contra a humanidade cometidos na República Centro-Africana a 25 de Outubro de 2002 e 15 de Março de 2003, anunciou o Tribunal Penal Internacional (TPI) no seu "site".

Bemba, principal rival político do Presidente da RDCongo, Joserph Kabila, foi um dos quatro vice-presidentes daquele país durante o período de transição (2003-2006) e vivia exilado em Faro, desde Abril de 2007, por intercessão do presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, mas não requereu asilo político.

Na sexta-feira, um porta-voz de Bemba anunciou que ele se preparava para, na semana de que começa, fixar a data do seu regresso à RDCongo para assumir a liderança da oposição.

"As milícias do MLC lideradas por Jean-Pierre Bemba levaram a cabo um ataque sistemático e generalizado contra a população civil da República Centro-Africana", informou o TPI, que indica que aquelas milícias praticaram violações, torturas, atentados contra a dignidade pessoal e pilhagens.

Bemba é também acusado pelas autoridades da RDCongo de ser responsável pelos confrontos violentos ocorridos em Kinshasa em Março de 2007, onde se verificaram mais de 60 mortes e que foram a causa do seu processo de exílio, sob invocação de doença.