Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Vídeo: Dinossauros ao vivo no Pavilhão Atlântico

Entre sexta-feira e domingo, o Pavilhão Atlântico, em Lisboa, recebe o espetáculo "Walking with dinossaurs".

Vinte dinossauros em tamanho real e com movimentos "ao vivo" controlados à distância são as estrelas de um espetáculo que já foi visto por cinco milhões de pessoas e que passa por Lisboa entre sexta-feira e domingo.

"A ideia é tentar contar a história do período em que os dinossauros passaram pela Terra, temos vinte dinossauros em tamanho real, desde os mais pequenos que estão dentro dos ovos, até ao maior, o braquiossauro", explicou à Lusa Alli Coyne, a diretora artística do espetáculo "Walking with dinossaurs" (Caminhar com dinossauros).

A história é narrada por Huxley, um paleontologista que faz lembrar Indiana Jones e que em Portugal é interpretado pelo ator Paulo Matos.

"É quase como se espreitássemos, os dinossauros não nos podem ver mas nós podemos vê-los na sua vida do dia-a-dia: vemo-los a comer, lutar, gritar, e ele [Huxley] diz-nos um pouco mais como era a vida na Terra e como os dinossauros viviam", acrescenta Alli Coyne.

O milagre da tecnologia

Toda a ação se passa numa espécie de arena, com o público à volta, e dificilmente se percebe como se movem de forma natural os dinossauros que vão passando no palco - desde os pacatos herbívoros até ao carnívoro Tiranossauros Rex.

O segredo está nos técnicos, três por cada grande dinossauro, que, através de comandos sem fios, movimentam os répteis à distância.

"Os técnicos manipulam um pequeno braço mecânico, uma versão em miniatura do dinossauro (...) Há cerca de 18 pontos de controlo", explica Amanda Maddock, uma das manipuladoras dos dinossauros, que controlam a cabeça, o tronco, a cauda e até o piscar de olhos dos animais.

Com 11 metros de altura e 17 de comprimento desde o nariz até à cauda, o braqueossauro é o "gigante" desta mega-produção.

É um espetáculo dos 3 aos 103 anos afirma a diretora artística do Walking with dinossaurs

É um espetáculo dos 3 aos 103 anos afirma a diretora artística do Walking with dinossaurs

Joan Marcus

5 milhões já viram

Apesar da narrativa ser contada de forma simples, dirigida aos mais novos, a diretora artística do "Walking with dinossaurs" considera que este é um espetáculo dos "3 aos 103" anos.

"Todos podem tirar alguma coisa. As crianças ficam loucas com os dinossauros, por serem tão reais, os pais e os avós ficam muito entusiasmados com o que veem, mas também a tentarem perceber como funciona o espetáculo", explica Alli Coyne.

Baseado na premiada série da BBC, "No tempo dos dinossauros", a ideia de a transformar num espetáculo ao vivo surgiu na Austrália em 2007.

Desde então, "Walking with dinossaurs" já foi visto por mais de 5 milhões de pessoas em todo o mundo e gerou mais de 160 milhões de euros de receitas de bilheteiras.

Na Europa, o espetáculo - que para ser montado exige 80 a 100 pessoas por noite -  já percorreu 26 países, faltando, depois de Lisboa, passar por Bruxelas.

Em seguida, todo o material será arrumado em contentores marítimos e começará uma nova tournée no Japão e Sudeste Asiático.

Em Lisboa, o "Walking with dinossaurs" pode ser visto no Pavilhão Atlântico, entre sexta-feira e domingo, com os preços dos bilhetes a variar entre os 25 e os 45 euros.

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.