Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Vídeo: Autarquia promete requalificar Bela Vista

Moradores esperam para ver, mas a Câmara de Setúbal garante que vai requalificar os espaços públicos do bairro da Bela Vista.

A presidente da Câmara de Setúbal, Maria das Dores Meira, garantiu hoje que a requalificação de pátios e outros espaços públicos do bairro da Bela Vista terá início dentro de dois meses, mas os moradores preferem "esperar para ver".

"Dentro de um ou dois meses vai ter lugar esta intervenção de requalificação da Bela vista. Os concursos vão ser abertos para procedermos à concretização destas obras", disse à Lusa a autarca setubalense, salientando que se trata de uma intervenção que ascende a cerca de 2,5 milhões de euros, no âmbito do programa de Regeneração Urbana da Bela Vista e Zona Envolvente (RUBE).

"Também estamos a trabalhar em pareceria com o ACM (Associação Cristã da Mocidade) e com um grupo de jovens, para criarmos aqui comissões de moradores, tendo em vista a reabilitação dos edifícios", acrescentou.

Moradores têm de zelar pelos prédios

Maria das Dores Meira salientou, no entanto, que a requalificação dos prédios será feita pelos próprios moradores do bairro, cabendo depois aos residentes de cada prédio zelar pela manutenção e pelo bom estado dos edifícios.

Além da parceria para a formação de condomínios, o ACM vai avançar também com o projeto "Oficina Aberta", que prevê a construção de laboratórios, salas de formação, espaços para a elaboração de projetos e de um pavilhão gimnodesportivo, e que pretende colmatar necessidades dos jovens estudantes, do pré-escolar ao 12º ano, bem como a formação dos moradores da Bela Vista.

"A oficina aberta tem um conjunto de objetivos que vão desde o desenvolvimento físico ao desenvolvimento emocional, à capacitação profissional e à própria inserção profissional", disse à Lusa Mário Pereira, diretor da Associação Cristã da Mocidade, convicto de que o projeto vai mesmo avançar, mas denotando alguma preocupação com a "sustentabilidade" futura do mesmo.

Apesar dos projetos anunciados para a Bela Vista, alguns moradores mostram-se muito céticos e garantem que a Bela Vista sempre foi excluída de qualquer intervenção de fundo nas últimas décadas.

Intervenção profunda

"Promessas há muitas, mas obras nas vejo nada. Só vendo. Só acredito vendo", disse Cristina Costa, uma moradora no bairro que o gostava de ver embelezado, mas que não acredita muito nisso.

Também desconfiando quanto à concretização das obras anunciadas, António Mendes defendeu a necessidade de uma intervenção profunda na Bela Vista e aproveitou para lembrar que outros bairros contíguos já foram objeto de melhorias significativas.

"Os bairros todos aqui à volta já foram arranjados. Só a Bela Vista é que há 30 anos não leva uma tinta. Os outros bairros, como o 2 de Abril, aqui ao lado, já levaram uma carrada de tintas", disse, aludindo às obras de requalificação já efetuadas naquele bairro.

"E a Bela Vista também precisava de ter umas portas (de acesso a cada condomínio)", acrescentou António Mendes, entre dois jogos de dominó com um grupo de amigos.

"Aqui (nos prédios da Bela Vista) entram cães, entram gatos, entram chineses, entram pretos, entram ciganos, está tudo misturado. Se não fizerem os condomínios isto não vai a lado nenhum", concluiu, deixando claro que o bairro precisa de muito mais do que a melhoria dos espaços públicos.

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.