Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Uma orquestra muito lá de casa

Aliam a música às performances lúdicas e interventivas. Os O´queStrada são um projecto multicultural nascido em Almada que fez das ruas o seu primeiro palco.

CHAMAM-SE O´queStrada e são uma muito sui generis formação musical que tem levado as suas performances lúdicas aos mais diversos espaços, desde ruas, cafés, bares, cine-teatros e galerias, ou até a um casamento muçulmano.

Misturam a música e o multi-culturalismo com a influência do teatro e do novo circo. Surgiram há cerca de cinco anos em Almada, a partir da experiência de Pablo, que em França havia integrado um colectivo performativo, e da sua companheira, a actriz Marta Miranda.

Zeto, Lima e o italiano Donatello são os restantes elementos desta formação que está sediada no antigo cinema da colectividade Incrível Almadense e que conjuga instrumentos tão estranhos como uma contra-bacia (uma bacia virada ao contrário onde assenta um cabo de vassora e uma corda), cadeiras percussivas ou pequenos teclados, com a guitarra portuguesa, viola, violino e acordeão.

E se os instrumentos são estranhos, a música não se fica atrás, fundindo uma série de influências, seja fado, rap, funáná ou jazz, no meio de muita euforia e boa disposição.

Ultimamente os O´queStrada têm marcado presença todas as sextas-feiras no bar do Teatro D. Maria II e por ali ficarão até dia 21 de Julho. Na chegada de Agosto contam lançar o seu primeiro CD.

Saiba mais amanhã, no ACTUAL