Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Um tornado de aquisições

Ao comprar mais duas empresas de telecomunicações na América Latina, a Telmex mostrou esta semana estar com um insaciável apetite. Primeiro, na passada terça-feira, adquiriu a Ertach por 22,5 milhões de dólares, um operador celular argentino que atravessa dificuldades económicas e tem apenas 6000 clientes. No dia seguinte, a empresa de Carlos Slim anunciou a compra da operadora colombiana de TV por cabo Superview Telecomunicaciones, por cerca de 40 milhões de dólares, que traz uma carteira de 150 mil clientes. A ideia é desenvolver o negócio do «triple play» - Internet de alta velocidade, televisão e serviço de voz. Mas a Telmex não tem pescado apenas peixe miúdo. No passado mês de Julho lançou uma OPA sobre a Embratel de forma a ficar com 100% do operador fixo brasileiro. Além do México, Brasil, Argentina e Colômbia está presente directamente no Chile, Peru e Estados Unidos assumindo-se como o mais sério concorrente da Telefónica no negócio da voz e da Internet.

No segmento das comunicações móveis, a rivalidade com o operador espanhol é protagonizada por outra empresa de Carlos Slim, a America Móvil que já está presente, entre outros países, na Argentina, Uruguai, Brasil (claro), Equador, Colômbia e Chile.

Mas, as telecomunicações são uma pequena parte do império de Carlos Slim. O magnata mexicano controla um vasto império do qual faz parte o Grupo Carso, um conglomerado industrial e de distribuição, e ainda o Grupo Financeiro Inbursa. O Grupo Carso realizou em 2005 um volume de negócios de 75 mil milhões de dólares, actuando em áreas tão diversas como o retalho, energia, construção civil, automóvel, tabaco, café e restauração.