Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Talibãs atacam assembleia da paz em Afeganistão

Os talibãs reivindicaram os ataques com mísseis e armas ligeiras que visaram hoje em Cabul a "jirga" da paz, que reúne 1600 representantes tribais e da sociedade civil.

Zabihullah Mujahid, porta-voz dos talibãs, referiu que "quatro suicidas" estavam no "topo de um imóvel perto da tenda da 'jirga', com mísseis, armas ligeiras e cintos de explosivos". "Eles estão a resistir e há confrontos em curso", adiantou o porta-voz.

Anteriormente, o Ministério do Interior anunciara que a polícia afegã tinha cercado "terroristas" barricados numa casa perto da universidade onde se realiza a "jirga" da paz em Cabul.

Perto do local da reunião foram ouvidas três explosões, duas das quais causadas por mísseis, bem como tiros de armas ligeiras.

A "jirga" (assembleia) da paz que se realiza hoje em Cabul, após dois adiamentos, está marcada à partida pela recusa de participação do principal partido da oposição afegã e de outros opositores ao governo de Hamid Karzai.

Oposição não participa na conferência

O porta-voz do partido Esperança e Mudança, Fazel Sangcharaki, fez saber que o movimento não enviaria representantes à assembleia de notáveis afegãos.

O ex-ministro dos Negócios Estrangeiros, Abdullah, foi o principal adversário de Karzai nas presidenciais afegãs de 2009, mas recusou participar na segunda volta para protestar contra alegadas fraudes registadas na primeira.

A assembleia, de caráter consultivo, deverá reunir cerca de 1300 deputados, chefes de conselhos provinciais, líderes tribais e religiosos e membros da sociedade civil que debaterão medidas para pacificar o país.

Os talibãs rejeitaram também participar na "jirga", prevista no plano de reconciliação nacional, e recusaram qualquer diálogo com o governo de Karzai.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.