Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Stresse: inimigo a abater

Dominados pelo trabalho, vivemos cada dia como um piloto de automóveis incauto: acelerador a fundo, indiferentes ao perigo que espreita a cada curva. Se não abrandarmos, qualquer despiste pode ser fatal.

Hoje vivemos dominados pelo trabalho e o stresse é o nosso companheiro diário. Na época das festas, a situação piora. As obrigações próprias dos festejos natalícios fazem aumentar as preocupações que temos de gerir.

Mas se o stresse é normal nos dias que correm, o resultado da interacção da pessoa com ele é que pode ser saudável e positivo ou destrutivo e doentio (ver caixa Os efeitos do stresse no corpo humano).

Falámos com médicos e pessoas que mudaram de ritmo de vida e reunimos sugestões para acabar com o este inimigo silencioso. (ver caixa 10 medidas para combater o stresse).

Os efeitos do stresse no corpo humano

No actual ritmo de vida, o que não explode, implode em descargas no organismo

No actual ritmo de vida, o que não explode, implode em descargas no organismo

Corbis/ VMI

O stresse é um mecanismo natural de defesa do organismo em relação às agressões do exterior, mas, em excesso, pode ter efeitos preocupantes para a saúde e o bem-estar. Eis alguns dos seus principais efeitos em vários órgãos ou partes do corpo humano.

CÉREBRO O stresse provoca um aumento dos níveis de cortisol, destruindo neurónios e prejudicando o raciocínio. Está ainda associado a uma grande variedade de problemas emocionais e mentais, incluindo insónias, dores de cabeça, alterações da personalidade e do humor, irritabilidade, lapsos de memória, fadiga, ansiedade e depressão, entre outros.

CABELO Níveis elevados de stresse podem levar à queda acentuada de cabelo, à escamação do couro cabeludo e mesmo a algumas formas de calvície, devido à falta de irrigação sanguínea.

PELE A diminuição da irrigação da pele pode conduzir ao seu envelhecimento precoce e ao surgimento de problemas dermatológicos, como a psoríase e o eczema.

BOCA O estado da boca e dos dentes é um óptimo barómetro. Secura excessiva e úlceras bocais são muitas vezes sintomas de stresse.

PULMÕES O aumento dos níveis de stresse provoca uma aceleração da respiração, numa tentativa de levar oxigénio extra ao sangue. Este facto reduz a entrada de ar nos pulmões, o que pode agravar crises de asma ou outras doenças respiratórias.

CORAÇÃO O stresse e a ansiedade são dos piores inimigos da saúde do coração. O batimento cardíaco torna-se até cinco vezes mais rápido e a tensão arterial sobe, aumentando o risco de hipertensão e de aparecimento de complicações cardiovasculares, como o enfarte do miocárdio.

MÚSCULOS O stresse constante é responsável por tiques nervosos, cansaço exagerado e dores musculares, em especial no pescoço, costas e ombros.

APARELHO DIGESTIVO Quando o organismo está em stresse, a digestão é prejudicada. O stresse crónico pode levar ao aparecimento de úlceras, inflamações do cólon e gastrites, devido ao excesso de suco gástrico.

FÍGADO Quando o organismo está em stresse reage libertando hormonas, como a adrenalina e a cortisol, que provocam a libertação de açúcar pelo fígado. Este facto leva a uma subida do açúcar no sangue, aumentando o risco de diabetes.

APARELHO REPRODUTIVO O stresse está associado ao surgimento de problemas menstruais e infecções genitais nas mulheres, e de impotência e ejaculação precoce nos homens. Pode ainda diminuir a líbido e causar problemas de infertilidade.

SISTEMA IMUNOLÓGICO O stresse crónico provoca uma diminuição dos linfócitos T, responsáveis pela defesa do organismo, tornando-o mais permeável a gripes, constipações, infecções pulmonares e outras doenças infecciosas.

10 medidas para combater o stresse

Nos dias de hoje, o gatilho da adrenalina é premido várias vezes ao dia

Nos dias de hoje, o gatilho da adrenalina é premido várias vezes ao dia

Corbis/VMI

O stresse é inevitável, mas é possível impedir que ele tome as rédeas da sua vida, prejudicando a sua saúde. Saiba como fazê-lo em dez passos simples.

1 - Planeie o seu dia Elabore uma lista de tarefas a realizar, estabelecendo objectivos apropriados. Aspirações irrealistas só servirão para o manter frustrado e aumentar os níveis de stresse. Deixe as tarefas que exigem maior criatividade para a altura do dia em que sente que a sua produtividade está mais em alta e não se esqueça de deixar tempo para a família, o lazer e o descanso. E lembre-se: nem tudo se pode organizar. Deixe espaço para o imprevisto.

2 - Defina prioridades Resista à tentação de fazer várias coisas ao mesmo tempo. Geralmente, a melhor forma de realizar várias tarefas é fazer uma de cada vez. Ponha maior atenção nas coisas que exigem mais de si, mas não esqueça aqueles pequenos assuntos que, muitas vezes, são fonte de stresse.

3 - Tome decisões Ter que tomar uma decisão importante é uma causa frequente de stresse emocional. Quanto mais tempo demorar a tomá-la, mais ansioso ficará. Procure fazer a escolha acertada, mas não eternize a decisão nem deixe o problema pendente.

4 - Saiba dizer não Reconheça os seus limites e resista à tentação de aceitar todos os desafios que lhe propõem. Evitar situações geradoras de stresse, nota a psiquiatra Maria Antónia Frasquilho, passa também por saber dizer não quando confrontado com um pedido que lhe parece exagerado, fora do razoável ou sem tempo necessário para o aceitar.

5 - Aprenda com os seus erros O stresse faz parte do processo de aprendizagem, lembra o psiquiatra Rui Mota Cardoso. Se tomar consciência dos factores e situações geradores de stresse na sua vida, ser-lhe-á mais fácil desenvolver defesas para as contornar no futuro.

6 - Tenha vida social Deixe o trabalho à porta de casa e procure relacionar-se com outras pessoas além dos seus colegas. "Sem os amigos não se vai longe. Um forte apoio social é um importante escudo para as consequências negativas do stresse", sublinha Maria Antónia Frasquilho. Se a família ou os amigos não o preencherem, envolva-se em actividades onde faça conhecimentos com pessoas com interesses similares.

7 - Pratique desporto A actividade física é uma excelente "pílula anti-stresse". Não só favorece a saúde física como ajuda a orientar as atitudes mentais e a restabelecer o equilíbrio psicológico.

8 - Relaxe Uma ou duas vezes por dia reserve 10 minutos para cerrar os olhos e realizar pequenos exercícios de relaxação, sem necessidade de sair de casa. Respire profundamente, retendo a respiração depois de inspirar muito lentamente pelo nariz e expirando muito devagar pela boca (como se estivesse a soprar), enquanto conta mentalmente. Aproveite estes momentos para esquecer os compromissos e as preocupações.

9 - Arranje tempo para si Procure reservar algum tempo para si. Aproveite para pensar sobre o seu estilo de vida e o que pode fazer para o corrigir, mas também para mimar-se quando atingir alguns objectivos.

10 - Partilhe as suas frustrações e angústias Não reprima os seus problemas e os sentimentos menos positivos. Conversar com um amigo, ou mesmo um profissional, se necessário, pode ajudá-lo a aliviar a tensão.

Texto publicado na edição do Expresso de 13 de Dezembro de 2008