Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Sócrates nega interferência do Governo

O primeiro-ministro, em resposta a Santana Lopes, hoje à tarde, na AR, garantiu: "Aos privados o que é dos privados"

Cristina Figueiredo

Cristina Figueiredo

Editora de Política da SIC

Santana Lopes aproveitou a sua terceira pergunta ao primeiro-ministro, no debate parlamentar desta tarde sobre o Tratado de Lisboa, para questionar José Sócrates sobre a política de saúde do Governo, sobre a crise no BCP e sobre os indicadores económicos. Acusando-o de ser "fraco com os fortes e forte com os fracos", o líder parlamentar do PSD apontou ao Governo ter "perdido o pé" e aconselhou-o - num discurso 'emprestado' do Presidente da República - a cuidar das desigualdades sociais.  O primeiro-ministro assegurou que "nunca o Governo interferiu, sugeriu que propôs qualquer solução para o BCP", insurgindo-se contra o que qualificou como "insinuações, falsas, injustificadas, insultuosas". "Aos privados o que é dos privados", disse. José Sócrates atribuiu ainda ao PSD "viver de meter politiquice em tudo" e afirmou que a escolha de Faria de Oliveira para a presidência da Caixa Geral de Depósitos se deveu a critérios de competência e não ao facto de ele ser militante do PSD.